HEARTHSTONE5 Dicas Simples para Se Alcançar o Lendário

Marduk 21 de agosto de 2015

way to pro

 Vem Comigo!

Bom, pessoal, já faz um tempo desde meu último artigo, mas estou de volta! Com o novo conjunto saindo, decidi que não seria relevante ou útil para ninguém se eu escrevesse algo sobre um deck que rapidamente seria considerado desatualizado. No entanto, acho que escrever um pouco sobre a teoria do Hearthstone poderia ser útil para alguns. Então escrevi esse artigo me baseando na experiência que tenho de ensinar as pessoas a jogarem Hearthstone e dos erros comuns que vejo as pessoas cometendo em algumas partidas. Sem mais delongas, apresento as cinco coisas que todo jogador deve fazer quando tiver começado uma partida de Hearthstone.

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO WAY TO PRO, LOCAL ONDE NOS DEDICAMOS A TIRAR DUVIDAS SOBRE O JOGO.

Nota: Todos os exemplos dados nesse artigo não são análises ou estratégias para um deck, eles foram especificamente criados para ser um exemplo da teoria de Hearthstone e não têm nenhuma estratégia de jogabilidade real em mente.

1º – Avalie sua mão inicial e contra o que está jogando

A primeira coisa que você vai fazer quando começar uma partida de Hearthstone é avaliar sua mão. Sei que isso parece banal, mas acredite em mim, não é. Obviamente não vivemos no “País dos Unicórnios Arco-Íris” onde nossos decks vão cooperar conosco 100% do tempo. Olhe para a sua mão, avalie quaisquer vulnerabilidades que ela tenha e do que você precisa para corrigir isso. A segunda parte em avaliar sua mão é supor contra o que você está jogando. Você não vai saber o que seu oponente está planejando até fazer a primeira jogada, porque é o primeiro turno e toda a informação é desconhecida. Vamos usar essa mão como exemplo.

Assim, para todos os fins e propósitos, essa mão é ótima. Mas, mais importante, estamos jogando contra um Druida, e a não ser que esse cara esteja fazendo algo muito maluco, é mais provável que ele seja um Druida Combo ou Taunt Druid. Então o que isso quer dizer? Geralmente isso significa que ele é um deck lento de controle/combo que vai levar um tempo para vencer a partida. Agora vamos voltar à minha mão. É meu turno, meu oponente passou o turno 1, então a probabilidade de ele ser um Druida Mecanoide foi por água abaixo. O erro que costumo ver muito por aí é a pessoa usar a moeda e jogar um drop 2 sem uma jogada para o turno 2 contra esses decks mais lentos. Como eu disse antes, o Druida é um deck mais lento, então não há motivo para eu usar A Moeda + Ferreira de Armaduras porque isso não vai ajudar em nada. Tudo o que eu faria seria gastar a moeda para colocar uma quantia irrelevante de pressão na vida total do meu oponente. Agora vamos mudar o jogo!

E se eu estivesse jogando contra um Caçador? O Caçador tem um deck muito mais agressivo baseado em pressionar minha vida total a partida inteira. Se eu escolher usar A Moeda + Ferreira de Armaduras no turno 1, significa que estou imediatamente disputando a mesa enquanto ganho vida e mato os lacaios dele. Não só isso, mas essa mão também tem um feitiço de remoção sólido para o turno 2 com a Batida para decks baseados em estratégias agressivas, o que vai acabar curvando em um dos dois drops 3 que tenho na mão.

2º – Com o que meu oponente está jogando?

Agora que você avaliou sua mão inicial, a segunda coisa mais importante que você precisa fazer é descobrir com o que seu oponente está jogando. Garotada, os bons tempos em que só tínhamos que adivinhar se era um Handlock ou um Zoo se foram. Toda classe tem várias estratégias hoje em dia, como por exemplo…

Xamã – Mecanoide, Midrange
Ladino – Aggro, Oil
Paladino – Aggro, Midrange, Segredos
Caçador – Face, Midrange, Híbrido
Bruxo – Zoo, Handlock, Malylock, Demonlock
Guerreiro – Controle, Montinho
Sacerdote – Controle, Controle, Controle (péssimo exemplo)
Mago – Mecanoide, Tempo, Freeze
Druida – Ramp, Midrange/Combo

Então por que é importante descobrir com qual deck seu oponente está jogando e por que você deve querer fazer isso o mais rápido possível?

Uso de recursos de modo apropriado.

Se você não sabe qual deck seu oponente está usando, você pode acabar usando seus recursos inapropriadamente. Por exemplo, digamos que você esteja jogando com um Paladino Midrange e seu oponente está jogando de Caçador. Você decide fazer uma jogada de tempo onde você usa um Pacificador Aldor no Malabarista de Facas dele para uma troca de valor bom ao invés de fazer uma troca direta. Bem, acontece que seu oponente não está jogando com um Face Hunter, e sim com um Caçador Midrange, e no turno 6 ele joga um Jubalta da Savana. Oooops.

Jogar ao redor de remoções.

Veja o Guerreiro Controle e Patron como exemplo. Você automaticamente presume que todos eles são Patron agora pelo tanto que tem visto nas streams, competições e ladder. Então digamos que você esteja jogando de Mago Mecanoide e começa a jogar todo lacaio que puder pensando “o Patron não tem nenhuma remoção em massa”. Bem, você se esqueceu de pensar se ele é Controle.

ooops.

3º – Saiba como você vai ganhar a partida.

Certo, você descobriu com o que seu oponente está jogando e agora estamos procurando por estratégias de vitórias. Alguns decks têm respostas mais simples para isso que outros. Se estiver jogando de Face Hunter a resposta geralmente é ir na cara, se estiver de Guerreiro Controle a resposta geralmente é enrolar na partida, mas e o resto de nós? Vamos tomar como exemplo nossa partida de Druida contra Patron de antes. Eu, como jogador experiente de Patron, sei que é quase impossível para o Druida se recuperar de uma mesa cheia de Fregueses. Olhe para essa mão.

Com 5 de mana meu oponente não quebrou minha arma, significando que ele não consegue. No entanto, ainda estou alguns turnos longe de conseguir fazer um combo Patron. Se eu escolher usar minha arma esse turno, isso quer dizer que vou perder um efeito de Redemoinho e deixar meu combo ainda mais distante, que não é algo que eu queira fazer. Prefiro distrair meu oponente enquanto disputo a mesa e preparo meu combo o mais rápido possível. Essa é a minha jogada.

Apesar do tempo do Berserker Espumante não parecer ótimo, sei que não vai ser com ele que vou ganhar a partida, então ele vira uma vítima da guerra. Vou usar a Ferreira de Armaduras para atacar o totem e buffar o Berseker, permitindo que ele possa trocar com o Retalhador Guiado. Após o turno 5 e algumas trocas comprei uma Raiva Interior e o jogo ficou maluco.

Consegui manter minha arma, jogar o Freguês Carrancudo, usar a Raiva Interior nele e atacar o lacaio do meu oponente, criando um Redemoinho, e então usar um Redemoinho da minha mão limpando a mesa e conseguindo seis Frequeses. Alguns turnos depois…

Sei que esse parece um exemplo simples e, honestamente, é. O Guerreiro Patron te dá os melhores exemplos nesse conceito, e é por isso que ele também faz parte do exemplo 2.
Exemplo 2

Vamos mudar o jogo de novo. Agora estou jogando de Patron contra Sacerdote Controle. Existem situações em que você pode dar um combo Patron YOLO e esperar que ele não consiga responder, especialmente se você conseguir fazê-lo cedo e por uma quantia razoável de recursos. No entanto, você constantemente vê pessoa gastando recursos valiosos no combo Patron e dar de 12 a 18 de dano na cara de alguém. Por que isso é errado? O Sacerdote tem dano em área fácil, ele pode dar uma Bomba Luminosa ou Círculo de Cura + Sacerdalma Auchenai. Felizmente, para o mundo do Patron, o Berserker Espumante existe. Você vai vencer uma partida controle como um jogador de Patron com o combo Patron? Provavelmente não. Então o que isso quer dizer? O Controle é lento, consequentemente ele te dá todo o tempo do mundo para juntar um dano massivo para o Berseker, então vamos por esse caminho, beleza?

4º – Como seu oponente vai te matar?

Enquanto tenta descobrir como vai matar seu oponente, você também deve estar pensando em como ele vai tentar te matar. Saber isso vai te ajudar a descobrir como fazer melhor uso dos seus recursos, como trocar melhor, quando ir na cara, quando se segurar etc. Alguns serão fáceis; se seu oponente é um Druida Combo eles vão tentar manter o controle da mesa, abaixar sua vida e te dar o combo. Se seu oponente é um Paladino aggro, eles vão tentar e surrar sua cara (SMOrc). Mas nem sempre é fácil. Todos já jogaram contra Zoo um milhão de vezes, e como o Zoo te derrota? Eles tentam dominar a mesa desde o início da partida, pressionam, e acabam com um burst. Mas mesmo sabendo como eles jogam, você consegue counterá-lo? Se você conhece o Zoo, e eu conheço o Zoo, você sabe que é difícil eles recuperarem o controle da mesa uma vez que o perdem. Você também sabe que o Zoo quase não tem cartas de burst além do Demonarca e Poder Esmagador e a carta que ele joga primeiro pode descartar a segunda. O que isso significa? Que se você ganhar o controle da mesa e estiver com mais de 9 de vida, vai ser difícil você perder a partida.

Vamos usar outro exemplo. Estamos jogando de Paladino Midrange e estamos contra um Freeze Mage, qual é o plano dele? Bem, o Freeze Mage vai fazer coisas de Freeze Mage. Eles vão congelar a mesa, enrolar, colocar segredos, usar a Alexstrasza na sua cara e encher sua cara de feitiços. Então, agora que sabemos disso tudo, o que fazemos? Tente criar um relógio, guardar as curas, e pelo amor de Deus, segure o Repugnaz. Sim, sei que essa matchup é terrível para o Paladino, mas isso não quer dizer que seja impossível de vencer. Você vai vencer entendendo como seu oponente quer vencer, porque ele não quer interagir com você e você não tem outra escolha senão forjar outros caminhos para a vitória. Você conhece a condição de vitória deles, então tente e countere-a.

5º – Saiba seu papel

Em toda partida de Hearthstone você deve entender qual é o seu papel. Você pode ter começado com a intenção de ser o agressor, mas no Hearthstone nada é determinado. Vamos usar o Handlock contra Patron como exemplo. Normalmente, o jogador de Handlock está acostumado a ficar na defesa tentando controlar a partida. No entanto, nessa matchup em especial, isso não é verdade. Como jogador de Handlock você precisa começar a jogar ameaças no early game como Draco do Crepúsculo e Gigante da Montanha para forçar o Patron a combar antes e limpar. Se você não pressionar desde cedo você dá ao jogador de Patron tempo demais para montar um combo muito mais complexo com o Berserker Espumante que pode dar uma quantia insana de dano. Segundo exemplo: você é um Face Hunter e tem toda a intenção do mundo de ir na cara. No entanto, você acabou jogando contra um Paladino aggro. O Paladino começou primeiro, teve uma compra muito mais agressiva e vai continuar sendo agressivo se você escolher não trocar. Agora, sabemos que o Face Hunter costuma ir na cara, mas você nem sempre consegue. Você precisa estabilizar a mesa, estabilizar sua vida e comprar um Soltem os Cães ou Armadilha Explosiva para voltar para o jogo. SAIBA SEU PAPEL. Esse provavelmente é o conceito mais importante em qualquer partida de Hearthstone, às vezes as pessoas são vítimas da “visão no fim do túnel” e aprendem a usar o deck de apenas uma forma.

Conclusão

Espero que esse artigo tenha sido útil para os jogadores que procuram melhorar sua jogabilidade. Sempre procuro ficar atento ao feedback da comunidade e vou tentar responder quaisquer perguntas que eu receba. Então, até a próxima, boa sorte na ladder, e que os deuses do RNG estejam com você.

Lauren “FMLaah” Ferreira

Fonte: HearthstonePlayers

  • Aldrahn Anjos

    Ótimo artigo, como esperado de qualquer um feito pela Lauren. Parabéns.

    • Sua Mãe Aquela Honesta Senhora

      babaovo

  • Bernardo Lopes

    Prum jogador iniciante/intermediário (jogo há 3 meses) que já tem Boom e Repugnaz (semana que vem vou comprar a 3a ala de naxx e pegar o Arauto do Caos) o que seria melhor para evoluir na Ladder: Tentar craftar um Mal’Ganis e fazer um DemonZoo ou guardar pó pra um Tempo Mage ao craftar um Antonidas ??
    Problemas disso são q o Flamewaker tá meio distante pra mim no momento assim como Alexstraza!

  • Bernardo Lopes

    Prum jogador iniciante/intermediário (jogo há 3 meses) que já tem Boom e Repugnaz (semana que vem vou comprar a 3a ala de naxx e pegar o Arauto do Caos) o que seria melhor para evoluir na Ladder: Tentar craftar um Mal’Ganis e fazer um DemonZoo ou guardar pó pra um Tempo Mage ao craftar um Antonidas ??
    Problemas disso são q o Flamewaker tá meio distante pra mim no momento assim como Alexstraza!

    • Bernardo Lopes

      Ah e parabéns pelo artigo! hehehe muito bom como todos do site!

    • Bernardo Lopes

      Ah e parabéns pelo artigo! hehehe muito bom como todos do site!

    • Lauren Ferreira

      Eu guardaria o pó porque tem uma expansão gigantesca vindo aí u-u

    • Rubens Bacelar’

      demonlock e mt forte. eu so ia até o 10 to no 7 já e com capacidade pra ir pro 5
      deboas

  • Davi Pontes Rocha

    otimo artigo em geral mas nota o pala dragons e o echo mage que sao casos em especificos contra decks aggros e patron mas vc podia resaltar nos ranks entre 10 e 1 tem muito desses tipos de decks

  • chrirs

    resumindo ,craft o kabum jogue comum deck modinha do meta , e n tenha meu rng ” o mais importante ”

  • Alex Milane

    Nenhum dos exemplos usou o Trall :X So Sad

  • Rafael Ferreira Garrido

    Parei de ler qnd vi q o redator joga com esse câncer chama Patron Deck…

    • André

      É só o deck mais roubado? Só pq ele é extremamente forte? Pessoas como você que ficam chorando que nem criança não tem nada a acrescentar no jogo.

  • Guilherme César

    Otimo artigo, me deu boas ideias. E uma dica boa que eu gostaria de dar sobre o Repugnaz é combá-lo com um Mestre Cervejeiro Jovem( na verdade é bom com qualquer lacaio com grito de guerra e custo baixo-médio); já consegui segurar muitos jogos se não matarem o lacaio até o meu proximo turno( ou se tiver mana pra fazê-lo nesse turno). Não sei se encaixa em decks lendários, mas ele ajuda muito quem ta caminhando pra lá…