HEARTHSTONEBen Brode revela que poderão haver rotações nos cards clássicos!

Scoppio 8 de janeiro de 2017

Ben tem tido uma semana agitada. Ele tem participado do fórum oficial para discutir os objetivos do Standard (Padrão) e deixou claro para todos que se o time de desenvolvimento achar que o jogo não tem mudado o suficiente com as rotações, eles farão mudanças, e eles não tem medo de mover “cartas problemáticas” dos sets básicos e classicos para fora.

Objetivos das rotações no modo Padrão

  • O objetivo final é manter o Padrão fresco todos os anos.
  • Se o mesmo card básico e clássico aparece com muita frequencia todos os anos, nós não obtemos nosso objetivo.
  • O meta sempre precisará ser observado para fazer planos para o padrão do próximo ano.
  • Lançando novas cartas é melhor que buffar cartas do set clássico e básico.

O objetivo é manter o meta fresco toda rotação anual, e há benefícios manter as cartas básicas e clássicas no Padrão: Jogadores que retornem ao jogo tem uma base para entrar no novo formato, e novos jogadores experimentam cartas clássicas como [Arcane Missiles] que são icônicos e grandes introduções ao jogo. As pessoas tiram um tempo do Hearthstone, e ser possível voltar a jogar imediatamente com algumas cartas que você ja tem e entende torna a experiência muito melhor.

Isso tem um ponto negativo que age diretamente contra o grande objetivo do modo Padrão. Ele precisa parecer e sentir diferente cada ano, e se cartas Básicas e Clássicas continuam aparecendo em grandes números ano após ano, não conseguiremos atingir nossos objetivos para o Padrão.

Nós sabíamos que não conseguiríamos resolver tudo quando o Ano do Kraken começou, então nerfamos 12 cartas básicas/clássicas, para colocar mais do peso do meta nas edições que rotacionam. Nós sabíamos que teríamos que observar o meta para ver se qualquer mudança futura seria necessária quando nos prepararmos para o próximo ano do Padrão. Se as coisas parecerem que serão mais do mesmo nesse próximo ano, poderemos ver mais nerfs, ou podemos rotacionar algumas cartas adicionais clássicas para o Livre, assim como fizemos com o [Old Murk Eye]. Não importa o que aconteça, estamos comprometidos em tornar o Padrão sempre inovador e excitante cada novo ano. (Source)


Vocês estão considerando, além de nerfs, implementar buffs em cartas poucos usadas?

Nosso objetivo no padrão é manter o jogo fresco todo ano, é importante manter muito do poder das cartas nas novas expansões, e não nas coleções básicas e clássicas. Não está claro ainda como esse balanço de forças deve se parecer (será que é ~10 cartas do set clássico e básico em média?), mas estamos com as coisas tão deslocadas em favor de cartas clássicas em decks que estamos correndo um risco enorme de ter “tudo igual” com as passagens dos anos no Padrão. Buffar cartas Básicas/Clássicas irá aumentar esse risco. Se o objetivo é ter mais cartas legais no meta, lançar novas cartas em expansões deveria resolver isso, e mantém o Padrão novo e fresco. (Source)

E você? Acha que rotacionar mais cartas do clássico seria uma boa solução? Que cartas você gostaria de ver fora do modo Padrão?


lucas-scoppio

Lucas Scoppio

Cientista de dados e desenvolvedor de software, eventualmente você o encontra no twitch jogando nas segundas e sextas, a partir das 21h, e eventualmente ele avisa no twitter  quando esta no livecoding programando. E não deixe de acompanhar seu canal no youtube.

  • Rafael Vieira

    Sou a favor de lançar um set novo básico todo ano de graça. Cai o set básico atual e entra um novo, ao meu ver essa é a melhor solução. Não fazendo isso não adianta, vamos continuar vendo Brigas no turno 5, Igualdade e Consagração e etc…

    • Guilherme Souza

      Mas isso não faria jogadores F2P desfavorecidos ? Se todo ano cair o set clássico todo ano seu esforço vai ser resetado pra você ir e gastar mais dinheiro no jogo ? Melhor fazer o jogo logo P2P do que virar um P2W

      • Wesley Barozzi

        ”DE GRAÇA”

        • LucasCoppio

          0800!!!

      • Paulo Gabriel

        é set basico que ele disse po

      • LucasCoppio

        Você está imaginando que “fechar a coleção clássica” vai te permitir montar todos os decks que quiser jogar para sempre, e isso faz com que aconteça JUSTAMENTE o que ninguém quer que aconteça, que é o jogo ESTAGNAR.

        Se todos os decks são montados usando os mesmos 20 cards clássicos e mudando uns 10 cards de coleção, e pronto, o padrão será SEMPRE IGUAL, e quando o jogo é sempre igual, ele é chato, e se ele é chato as pessoas param de jogar.

        Quer jogar “F2P”?
        Fecha 10 de gold por dia e tu junta 3650 de gold por ano, mais 30 de gold por dia em missões (média) você tira 10950 de gold num ano. Isso dá 146 pacotinhos ou 97 jogos de arena (o que te trará melhores resultados a longo prazo, talvez).

        • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

          Pequena correção: A média de quest diária é por volta de 51.25 gold.

          • LucasCoppio

            Valeu 😀

    • Kauan Borges

      seria interessante mudar as cartas basicas de classe e neutras…pois seriam de graça, mas tirar as cartas classicas do jogo(sei q nao é a expansão toda, mas são as melhores cartas tipo draco, rag, leiloeiro) mas caso eles tirem as cartas classicas mais jogadas, oq eles devem fazer é dar a quantidade de pó dessas cartas(mas a quantidade da msm qualidade da carta tipo raro não dá 20 mas sim 100) mas caso for algo mt ruim para jogadores F2P como eu…Literalmente vou parar de jogar, não só eu mais mts jogadores de Hs vão

      • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

        Você vai poder continuar usando todas as suas cartas, o Livre está aí pra isso. Acredite: Livre está melhor que o Padrão.

        • Gabriel

          Po SuperUai, sempre vejo aqui você exaltando o livre. Te respeito muito, mas ta complicado de aguentar. O HS vive de players casuais e uma minoria competitiva, tenho ctz que isso irá destruir o game e desestimular ainda mais os players. Simplesmente dizer “Vá para o livre”, nao é a solução. Não consigo enxergar o modo Livre como uma solução, já que ele é um cemitério de cartas das outras expansões…

          • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

            Obrigado, Gabriel! Olha só, minha dica é experimentar lá de vez em quando, sério mesmo. Eu não exalto o livre, apenas mostro que notícias como essas não é o fim do mundo. Sim, HS vive de uma maioria Casual e que está 80% nos ranks 25 a 13. Você já viu como são os decks do Livre nesses ranks? São o mais casual possível. E o modo Livre é o melhor lugar para jogadores casuais, pois são os que menos investem tempo no jogo, então o livre estará sempre lá para eles e o deck do meta que fizeram nunca sairá do meta.

            O seu problema com o Modo Livre é o modo como você o enxerga. Experimenta um pouco, jogue uma temporada por lá e me diga depois o que achou.

          • Gabriel

            Cara, o problema é que quem quer tentar jogar competitivamente fica como? Gasta caminhoes de dinheiro pra depois ver tudo ir pro Livre e você só ter 1/4 do seu investimento retornado em pó?. Se forem fazer isso mínimo seria tirar isso e colocar 1k600 de pó pras lendárias do Livre que foram rotacionadas recentemente do clássico. Caso contrário, seria um tiro no pé e perder muito publico.

          • LucasCoppio

            Quem quer jogar competitivamente joga Padrão.

          • Gabriel

            Como? Gastando cada vez mais por a cada ano o investimento dele vai ser resumir a 1/4 e vai ser sempre assim. É mto simples falar : “Ou gasta ou vai pro livre!”. A blizzard pode fazer o quiser, mas seria a solução mais preguiçosa.

          • ernesto

            Como eu disse e repito a solução é um pve tipo aventura e que se possa fazer missão neles, resolve tudo e todos ficam felizes colecionando ou jogando com a tralha que quiser sem precisar pegar harcore em nenhum modo e poder cagar e andar pra lendárias ou cartas de certas expansões

          • Gabriel

            Seria tipo o Magic THe Duels que tem na Steam. Na minha opinião era melhor colocar logo o HS sendo pago e colocar um PVE pra vc obter as cartas. Muito mais simples.

          • LucasCoppio

            Ainda bem que você não faz parte da equipe de produto da Blizzard.

          • Gabriel

            Nem você também, já que é muito simples ligar o foda-se e simplesmente falar se virem pra acompanhar o meta, ou vá pra Livre com as cartas que rotacionamos. Se quer elitizar o jogo, coloque ele pago e não fique obrigando as pessoas a jogar 10 horas por dia pra ter alguma coisa sem gastar. Além de que não se frustrar jogando com decks bostas é quase impossível.

          • ernesto

            Cara, eu disse fazer missão no PVE que no caso ainda não existe mas vendo o nível da conversa e como você defende a blizzard fazendo caca percebi que não dá pra argumentar com você, a maioria aqui não liga pro meta nem ranked e vendo como o jogo tá indo é quase assistir Yugi-Oh cardgame versão 2.0 que praticamente morreu pela ganância da Konami e tá acontecendo a mesma coisa, mas pelo jeito como o senhor liga o foda-se pras coisas ou adorar paparicar as porcarias do Ben Brode (porque visto como você defende com unhas e garras) fique feliz aí quando o jogo afundar de vez e só conter os Amaz’s da vida que podem gastar horrores e ainda ficar horas na frente do PC

          • Gabriel

            Acho que você respondeu a pessoa errada, mas ok.

          • LucasCoppio

            Nem tudo é um problema enorme e intransponível!
            Você está reagindo a todas as respostas como se estivéssemos mandando você catar coquinho, se virar, mas não é isso, estamos explicando o que está ruim, o que pode ser feito de diferente, e o que você pode fazer caso queira manter as coisas sem ser totalmente prejudicado. Além de, é claro, você poder transformar em pó com 100% de conversão os cards que rotacionarem ou forem eventualmente nerfados.
            Mas ao invés de conversar você só retorna de maneira agressiva, chutando o balde, e fica irritado quando a resposta não lhe é agradável, ou quando respondem no mesmo tom que você.

          • LucasCoppio

            Ja existe, chama aventura.

          • LucasCoppio

            Se o meta tem sempre os mesmos cards, e consequentemente os mesmos decks, o jogo fica um saco.
            A solução mais óbvia seria o clássico rotacionar e eles lançarem mais edições por ano (uma edição a cada 3 meses acho que seria bom o suficiente), ou eles aumentarem o poder dos cards e inserirem novas habilidades com maior frequencia, fazendo com que os cards clássicos percam o apelo, não sejam mais interessantes ou bons o suficiente para serem usados.
            No entanto eles preferiram manter o clássico para “ficar mais fácil para velhos jogadores poderem entrar no padrão depois de um tempo sem jogar”.
            Eles criaram esse problema quando decidiram não rotacionar o clássico, e agora estão se debatendo para tentar manter sua decisão.

          • Jonatan Magno

            Gabriel, acho esse engraçado esse seu conceito… Como assim só 1/4 do investimento? E todas as partidas que você jogou com as cartas e rankings que subiu e etc.? O “valor” da carta vai muito além do que você ganha quando desencanta. A Blizzard utiliza esse sistema de pó, pois é muito mais viável do que implementar trocas, já que isso quebraria o jogo com contas fakes. Mas querer uma carta por outra é demais, QUALQUER CARD GAME físico é bem mais “injusto” nesse sentido. Tem cartas de Magic que chegam a custar centenas de vezes o valor de uma carta comum. Você já usou a carta, já jogou com ela, já se divertiu, a blizzard não te deve nada.

          • Dario Coutinho

            Você resumiu a situação atual do jogo.Ou você gasta dinheiro ou vai pro livre/arena. Tá impossível acompanhar o meta sem torrar uma graninha.

          • ernesto

            Sinceramente SuperUai, eu já fui lá pra ver e parecia a volta do Quem sou eu? Só aquilo e a sorte dos retalhadores guiados pra decidir jogos, eu acho que a melhor opção é ativar um PVE lá, sei lá, criar uma máquina aleatória que possa te enfrentar e os jogadores possam jogar com o que quiser e fazer os decks que quiserem sem perder tempo enfrentando players hardcore ou se preocupar com esses nerfs porque são casuais, então ao meu ver a solução é PVE e poder fazer missão neles

          • Dario Coutinho

            Boa opinião! Pessoal precisa dar mais atenção ao livre. O Padrão virou modo pra quem vai investir pesado no joguinho.

        • Murilo Teixeira

          Você acredita que com o tempo, talvez daqui a duas ou três rotações, o modo padrão acabe sendo “abandonado” pelos não-prós, por conta da quantidade de decks interessantes ser maior no livre?

          • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

            Não, o Padrão ainda será mais fácil de jogar e quem está preocupado com a rotação, vai continuar jogando padrão mesmo assim. Alguns F2P migrarão pro Livre e até encontrem uma casa lá, mas duvido que o Padrão se torne um formato “somente para prós”. Enquanto no padrão teremos algo em torno de 1000 cartas todo ano, no Livre daqui a 3 anos teremos mais de 2000 cartas, bem mais complexo.

    • LucasCoppio

      Eu sou a favor de ganhar dinheiro dormindo.

  • Matheus Tomaz

    Na real hearthstone atual não está nada bom.

  • Wesley Pereira de Sá

    Então em vez de melhorar, eles te obrigam a injetar grana sempre que podem…

    • LucasCoppio

      a idéia é melhorar as edições, lançando cada vez mais edições novas.

      • Dario Coutinho

        O objetivo de qualquer jogo é gerar receita para a produtora. Vem com esse papinho não. Ao rotacionar as expansões e não conseguir variar o meta, a produtora falhou em criar variedade e por isso está tomando essa decisão. De quebra, ganhar mais um trocados né?

    • Dario Coutinho

      Vale lembrar que os card básicos e clássicos são os mais fáceis de se ter gratuitamente. A remoção/rotação deles significa apenas duas coisas: ou a blizz falhou em variar o meta, ou falhou em fazer com que as expensões serem compradas. Qualquer que seja o caso é ruim para o jogador que não costuma comprar packs.

  • http://coloradoteus.blogspot.com.br Túlio Passos Lopes

    Por mim a quantidade de cartas do básico e clássico nos decks já está boa o suficiente, se essa rotação acontecer vai ser necessário investir cada vez mais dinheiro e tempo no jogo.

    • LucasCoppio

      Parece que alguém pegou a idéia 😉

  • Dilton Gonçalves Neves Filho

    Não sou a favor… quem começa no hearthstone luta pra ter as cartas tier1 e ter um deck competitivo… fazendo isso é um balde de água fria em jogadores como eu q de vez em quando sua pra comprar uma pré venda ou uma aventura…

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Você vai poder continuar usando todas as suas cartas, o Livre está aí pra isso. Acredite: Livre está MUITO melhor que o Padrão.

      • Rodrigo D. Oliveira

        Eu jogo casualmente lá e de fato tem uma diversidade pouca coisa maior. Mas o paladino de segredo ainda é dominante. Se as pessoas investirem no Wild de forma a ser competitivo, só dará quem sou eu… E já vimos este filme antes. Então lá não é uma solução viável.

        • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

          Paladino Segredo é considerado Tier 2 atualmente por lá. Tomando pau a rodo dos decks Piaratas e dos Renos. Você só vê em ranks muito altos tipo 10 pra cima, mais pra baixo ele come miúdo.

  • THUNDEROM

    Eu aposto que se eles fizerem isso, eles colocaram algumas cartas “adicionais” com o mesmo efeito do que temos hoje no modo clássico.

  • Paulo Murilo Oshiro

    Não vejo muito sentido nisso. Algumas cartas clássicas e básicas se mantiveram, mas deixaram de ser a essência do deck. Se tornaram meros complementos. Uma Sylvanas é uma carta que sempre vai compensar ter em um deck de último suspiro, controle ou mid-range, mas ela não define o deck como um arquétipo mecanoide fazia, por exemplo.
    No ano passado, a maioria dos decks envolviam os deuses antigos e essa era a característica do deck. Isso mudou bastante com as cartas dessa nova expansão. O arquétipo de jade é inovador, Reno Lock foi um arquétipo que se manteve, mas muito mais poderoso com os cards novos e Reno Mage não era exatamente um sucesso e hoje tá aí, tier 1, com um foco muito grande nos cards novos. Warriors pirata também é algo completamente diferente do que se tinha antes, enfim… Acho que eles conseguiram mudar bastante a cara do meta é dos arquétipos adicionando alguns card-chave que definem a forma de funcionar do deck. Que quase todos ainda usem um caçador de tesouros não é um grande problema, problema seria todos ainda estarem.usando decks de C’thun e Último Suspiro.

    • Kauan Borges

      Quem não garante que eles vão tirar cartas que são a essência de alguns decks ? Como o leiloeiro é do miracle

    • LucasCoppio

      O sentido é claro, muitos decks usam 20~22 cards clássicos+básicos, e uma mínima quantidade de cards de novas expansões, e isso não é interessante, pois todos os decks, a longo prazo, ficam muito parecidos, fica tudo igual.
      Rotacionar alguns cards chaves podem jogar o numero de cards classicos no deck desçam para 10~12 cards, aumentando a força/presença de cards de coleções novas no ambiente.

  • Demetrius Mota

    na boa, se cair o clássico vai cair todos os jogadores, eu vou pro wild ou talvez ate pare de jogar, fiquei a vida toda investindo para completar a coleção principal, ainda mais depois que avisaram que ela seria a unica fixa e agora anunciam que ela vai cair, rage quit na hora

    • LucasCoppio

      Ele não disse de rotacionar o clássico, mas de rotacionar cards específicos.

  • Vinicius Tanaka

    Algumas cartas do padrão deveriam aderir ao set clássico, reno jackson por exemplo, fez várias cartas “desconhecidas” rodarem, sem contar que são um freio para os decks aggros que dominam o meta

    • LucasCoppio

      Ele tem que aderir ao set clássico por que exatamente? Ainda mais quando o interesse é manter o meta sempre “novo e fresco”, ter sempre decks “Reno” por anos seguidos me parece tornar o meta repetitivo.

  • Silas Leite

    Não sei se li e interpretei errado, mas o foco do discurso do Ben está em NERFAR cartas e não banir do jogo. Banimento é ultima alternativa, Lembro-me do nerf de hunters mark e achei justo. execute tbm.

    Agora, na moral, essa manchete não tá inflada não?

    • LucasCoppio

      Não tem nenhuma menção a banimento em lugar nenhum.
      Ele fala de rotação, e que ele e o time de design considera 100% justo rotacionar cards clássicos ou básicos se isso ajudar a manter o meta sempre novo.

  • ernesto

    Não sei que cartas do básico eles querem arrancar, mas ao meu ver, se arrancarem certas cartas ou nerfarem (caso do BGH que talvez fosse a melhor alternativa de travar o ridículo do 7/7 4 manas) o jogo vira uma zona de aggro e a maioria, inclusive eu, não acha justo e nem coerente fazer isso e é mais fácil migrar pra talvez um OW da vida do que ficar vendo os desenvolvedores criarem cartas idiotas que só facilitem o aggro ou mid-aggro enquanto nerfam ou rotacionam as cartas que podem lutar contra com a “intenção” de melhorar o jogo

    • LucasCoppio

      a “zona de agro” se resolve lançando cards novos toda expansão.

  • Reinaldo Klein

    a blizzard faz de tudo pros f2players se fuderem vai tomar no cu

    • LucasCoppio

      Por acaso a Blizzard disse que ia apagar os cards?

  • Felipe Morais

    Pra min só ficava o set básico o meta nunca muda, como exemplo rogue, leiloeiro quebra na criação de carta pra rogue e grande parte dos decks de rogue usa leiloeiro

  • Rafael Nascimento

    Não sei oque dizer sobre isso, ainda sou novo, com 2 Anos de Hearthstone, mas acho que eles deveriam lançar novas cartas básicas ou disponibilizar novas cartas através dos niveis do personagens, saindo de 60 pra 100lv. por exemplo, ajudaria um pouco.

    • LucasCoppio

      Não diga, apenas sinta…

  • Murilo Teixeira

    Por que ao invés de se preocupar tanto com a permanência das cartas básicas/clássicas, não se empenham em lançar mais cartas usáveis nas expansões futuras?

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Porque para se fazer cartas melhores que as básicas, teriam que aumentar o nível das cartas pra no mínimo Naxxramas e isso ferra o jogo, principalmente para os iniciantes.

      • Murilo Teixeira

        Não sei exatamente a razão, mas pela quantidade de cartas disponíveis, são poucos os decks que rodam de fato. Entendo que manter o balanceamento em um jogo desse tipo é complicado. Mas a impressão que fica a cada expansão é que saem mais cartas inúteis do que usáveis.

        • LucasCoppio

          Sim, porque a edição básica tem um powerlevel muito desbalanceado.

  • Denis Duraes

    Sempre que eu tento montar um deck, aparece novas cartas e tenho que ficar juntando pó de novo para fazer alguma lendária. Enfim, tá osso.

    • Leandro Dos Santos França

      Esse é o Grande problema! Exemplo: Tinha um deck que ganhou 70% das partidas, Hunter, rank 7, veio a expansão nova e o Deck morreu! Passou a não ganhar mais nada! Tive que fazer as cartas novas e para piorar não vem nada de bom que gere muito pó nos packs! Basicamente, para montar um deck e acompanhar as expansões fica menos complicado se investir dinheiro. Depois que abrir 120 packs e veio só três lendárias da Gerinbosta eu desanimei desse jogo! Parece mais um caça-níquel a cada 4 meses! Já craftei 3 lendárias dessa expansão nova, e com 1340 de pó, logo vou fazer o Remendo (câncer) para usar nos decks do Meta, isso até a nova Expansão chegar e ter que fazer tudo novamente.

      • Dario Coutinho

        Vai na cal que o jogo é free-to play e não precisa gastar.. confia! 😀

        • Leandro Dos Santos França

          Caramba! O jogo é Free! Eu não sabia! Muito obrigado por me informa! Eu jogo há quase três anos e são sabia e que são tantos jogos que tenho e testei que acabo até esquecendo! Valeu! Vou te passar alguns links de Youtubers que compram 300 packs de uma vez só quando lançam as expansões novas e conseguem bem rápido ter todas as cartas. Fala lá para eles que o jogo é free e explica que dar para ir bem sem ter todas as cartas do meta! Ou será que é vantagem investir e poder montar todos os decks? Na sua concepção é melhor juntar gold todo dia e a cada 15 dias ter uma lendária dos decks principais, já fiz isso, é poético, mas não é prático! Fiz assim nos Deuses antigos, foi sem gastar dinheiro, demorou muito para consegui as cartas mais importantes! Enquanto quem investiu, catou todas as cartas! Obrigado por me informar que o jogo é free! Valeu!

          • Dario Coutinho

            De nada amigo, quando eu fui baixar pensei que o dinheiro iria sair da minha carteira automático. ufa..

    • LucasCoppio

      Sim, jogos de cardgame costumam funcionar desse jeito.
      Você tem um deck X, aí chega uma nova edição e o deck não é mais tão bom, aí você monta outro deck. Meio que é a essencia dos cardgames, modernos

      Magic tem dessas direto, recentemente saiu um deck que mata o oponente no turno 4 usando EXCLUSIVAMENTE as cartas do bloco da nova coleção.

  • Fernando Machado

    Já que se basearam no Magic: The Gathering em quase tudo, porque não continuar se baseando? (e isso foi um elogio). No Magic uma coleção BÁSICA nova é lançada de tempos em tempos.

    Geralmente (pode variar) ocorre o lançamento de duas grandes expansões NOVAS (que se dividem por sua vez em 3 sub expansões) e logo após aparece uma EDIÇÃO BÁSICA NOVA, mantendo ALGUMAS POUCAS CARTAS ICÔNICAS que permanecem desde o início do jogo, lá nos idos de 1993 (na verdade não chega a 20 as cartas básicas que SEMPRE retornam desde quando o jogo foi criado)

    A ideia REALMENTE movimenta o formato e me parece ótima.

    • LucasCoppio

      Cara, eu adoraria uma nova edição básica a cada 1~2 anos… acho péssimo o Hearthstone ter uma “edição básica desatualizada e obsoleta” controlando as novas edições, o novo meta, sempre ali, influenciando decks e jogadas… isso DESTRÓI a criatividade e as possibilidades e potencial das novas edições!

  • Danillo Santos Pereira

    A blizzard não ta nem ai pra comunidade, ela está vendo como as expansões e aventuras estão sendo lucrativas, rotacionar cards clássico irá forçar mais ainda vc ter que obrigatoriamente comprar ou farmar gold pra futuras aventuras cards nova expansão.
    O meta ta ai provando que 5 classes estão na tier 1 no tempo Storm por exemplo.
    Foi lançar expansão e parou ser ser shaman stone que estava antes da expansão.
    Então sim eles consegue modificar o meta apenas com aventuras e expansão sem mexer nas cartas clássicas.

    Mas…… nem tudo são flores como dizem mtos por ai “livre ta ai pra isso”

    Mas acontece que a galera não quer ficar vivendo no livre pq o padrão se torna mais almejado por causa dos campeonatos e tal’z.

    A blizzard tinha ambição e isso era é bom.

    Mas a ganancia parece estar sendo sua meta agora.

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Te recomendo esse artigo para tirar algumas dúvidas comuns como a sua: http://www.marduktv.com.br/hearthstone/artigos/analise-da-rotacao-do-classico/

    • Dario Coutinho

      Como você bem disse, o modo padrão é mais almejado por causa dos campeonatos.

      Pessoal vai jogar free e acha que vai acompanhar o meta? Prepare-se para perder o soninho. A cada rotação vai ficar mais difícil.

  • Denis Duraes

    Eu até que gosto de mudanças, ficar assistindo partidas em que todas as pessoas usam o mesmo deck é um tédio. Se esse fosse o objetivo das rotações de cartas, tudo bem, seria a favor. Porém tem a parte que visa o lucro, a cada expansão, os desenvolvedores faturam muito. Os prós já tem suas dezenas de pó para cravar o que quiserem, mas nos jogadores novos, vamos ralar pelas laterais até conseguir montar um deck de novo. Se pelo menos os pacotes fossem mais baratos, já ajudava…