HEARTHSTONEDe Olho no Meta #30 – Voltamos, assim como o Xamã!

ELTON FIOR 2 de julho de 2017

E aí, pessoal, tudo bem? Aqui é o Eltinho com a missão de substituir o RyzingxFire com a análise do metagame semanal do Formato Padrão de Hearthstone. Para quem ainda não me conhece, no final do artigo tem alguns links com mais informações sobre mim. Mas vamos ao que interessa!

A primeira pergunta sobre análise de metagame é: de onde você está tirando essa informação? Existem muitos sites de dados e de análise de informação sobre metagame de Hearthstone como o Tempostorm Meta Snapshot ou o Hearthstone Meta Stats. O meu preferido é o Data Reaper da Vicious Syndicate, pois fazem uma análise baseada em uma amostra grande e bastante detalhada.

A segunda pergunta é como avaliar os tiers (se alguém ainda estiver por fora da terminologia, tiers são as classificações de um deck no meta – tier 1 são os decks mais fortes, tier 4 aqueles somente para diversão)? Existem 2 maneiras, relativamente interligadas, e eu vou expor as duas nesse artigo. A primeira é pela popularidade no meta – decks mais comuns pertencem aos tiers superiores enquanto que os decks mais aleatórios são de tiers inferiores. A segunda maneira é pelo percentual de vitórias – decks melhores costumam vencer mais.E por que essas duas avaliações são interligadas? Porque assim que um deck começa a demonstra um bom percentual de vitória no formato, sua popularidade tende a aumentar e vice-versa. Mas por vezes acontece de surgir um deck novo no formato, como resposta àqueles dos tiers mais altos, com um bom percentual de vitória, mas ainda com pouca representatividade. Se esse conseguir sustentar seus bons índices conforme mais jogadores optam por ele, a tendência é que ele se estabeleça nos tiers mais altos de popularidade.

Outro fator que afeta a popularidade do deck é o seu custo de criação, pois decks mais baratos acabam sendo mais comuns, sobretudo entre os jogadores com pouco investimento.

Então vamos primeiro falar dos decks e classes mais populares da última semana. É importante ressaltar que toda essa análise foi feita antes do anúncio do nerf vindouro na Missão do Ladino – [Caverna nas Profundezas], que deve ter um impacto enorme no formato, já que esse é um deck bastante popular e deve perder muita força com isso.

Na semana de 21 a 27 de junho, a distribuição das classes pelo metagame era a seguinte:

· Mago – 17,27%

· Druida – 14,41%

· Guerreiro – 13,72%

· Xamã – 13,09%

· Ladino – 12,73%

· Paladino – 10,93%

· Sacerdote – 9,96%

· Caçador – 6,49%

· Bruxo – 1,40%

É possível ver que temos um metagame bastante equilibrado no que diz respeito às classes, com apenas 2 classes sub-representadas mas nenhuma dominando completamente o formato, como era o caso do Guerreiro e do Xamã no Ano do Kraken. Além disso, as sete primeiras classes dessa lista possuem 2 ou mais arquétipos diferentes de decks viáveis no formato, o que é um indicador saudável de diversidade. E por falar em arquétipos, abaixo segue a lista de popularidade no metagame:

· Xamã Token – 9,98%

· Guerreiro Pirata – 8,42%

· Ladino Missão – 8,37%

· Mago Burn – 8,37%

· Druida Aggro – 7,55%

· Caçador Midrange – 5,93%

· Druida Jade – 5,72%

· Mago Segredos – 4,79%

· Paladino Murloc – 4,31%

· Guerreiro Provocar (Missão) – 4,31%

· Paladino Midrange – 3,65%

· Sacerdote Control – 3,53%

· Sacerdote Dragão – 3,37%

· Ladino Miracle – 3,27%

· Xamã Midrange – 2,75%

· Paladino Control – 2,29%

· Mago Freeze – 2,26%

Se levarmos em conta que no metagame antes do lançamento de Un’Goro, o corte para tier 1 por popularidade era de 10% do formato, nenhum arquétipo seria tier 1! Novamente mais um sinal de um formato equilibrado, pois quando um deck cresce em presença, rapidamente outros decks com vantagem sobre ele começam a ganhar popularidade e o mantém sob controle, que foi algo que nenhum deck conseguiu fazer com os Piratas do Guerreiro e os Golens de Jade do Xamã no Ano Kraken. Portanto, agora que o Xamã Token despontou como o deck mais popular dessa semana, é bem possível que decks como Mago Freeze, Guerreiro Provocar e Sacerdote Dragão ganhem mais espaço por apresentarem um bom jogo contra ele.

E já que eu citei um bom jogo, é importante então fazer aquela outra divisão de tiers, a por porcentual de vitórias no metagame. A divisão dos tiers é a seguinte:

Tier Deck Porcentual de Vitórias Popularidade no Meta
Tier 1 (52%+) Xamã Token 53,34%
Guerreiro Pirata 52,75%
Paladino Murloc 52,74%
Mago Segredos 52,27%
Tier 2 (50-52%) Paladino Midrange 51,90% 11º
Ladino Missão 51,30%
Mago Freeze 51,01% 17º
Druida Aggro 50,96%
Mago Burn 50,67%
Tier 3 (48-50%) Caçador Midrange 49,82%
Paladino Control 49,25% 16º
Sacerdote Dragão 48,71% 13º
Guerreiro Provocar 48,13% 10º
Druida Jade 48,02%
Tier 4 (48%-) Ladino Miracle 45,83% 14º
Sacerdote Control 44,76% 12º
Xamã Midrange 44,56% 15º

Como eu tinha comentado anteriormente, os dois mais populares são aqueles que apresentam um maior índice de vitórias. Logo ali na sequência, temos dois decks que embora não joguem tão bem contra os 2 primeiros da lista, possuem um bom índice de vitórias contra a maioria dos demais decks, que são uma parte significativa do formato, o que explica seu porcentual bem acima da sua presença no formato. Caçador, Druida Aggro e Ladino Missão são exemplares de decks populares por serem de baixo custo de criação, mesmo que os índices de vitória não estejam de acordo com a sua popularidade. Abaixo eu farei comentários sobre cada um desses principais decks do formato.

Mago

Mago Burn é o deck mais popular de Mago no momento. Possui bastante elementos de controle de mesa e pressão inicial com o backup de Medivh, Alexstrasza e Ignimpacto para encerrar o jogo. Algumas listas têm optado por usar Agoureiro contra decks mzis agressivos enquanto outras têm optado por encaixar Contrafeitiço vs control.

• Adversários bons: Xamã Midrange (64% de vitórias), Mago Freeze (61%), Ladino Miracle (59%), Xamã Token (55%) e Druida Aggro (53%).

• Adversários ruins: Druida Jade (38%), Paladino Midrange (43%), Paladino Murloc (43%), Sacerdote Dragão (45%) e Guerreiro Pirata (46%).

Mago Segredos embora ainda conte com um bom índice de vitórias, tem caído em popularidade, especialmente por ter jogos desfavoráveis contra os dois decks mais populares do formato, onde suas Entidades do Espelho são bem menos eficientes. O fato de que quando o fim de temporada eleva a quantidade desses decks acaba por desfavorecer sua presença. É, porém, um deck que apresenta bastante adversários favoráveis, o que ainda o torna uma boa opção.

Adversários bons: Druida Aggro (59% de vitórias), Sacerdote Control (59%), Druida Jade (58%), Guerreiro Provocar (57%) e Sacerdote Dragão (57%).

Adversários ruins: Paladino Murloc (41%), Paladino Midrange (44%), Xamã Token (45%) e Guerreiro Pirata (46%).

Mago Freeze está bem posicionado no formato como resposta a alguns dos decks mais populares. Sua presença no formato tende a subir nos Ranks mais altos, pois não é um deck fácil de jogar mas ganha muito valor quanto maior sua experiência com ele. Algumas listas estão usando elementos híbrido do Mago Burn, como Portal das Terras do Fogo e Medivh, o Guardião, com relativo sucesso.

Adversários bons: Xamã Midrange (80% de vitórias), Druida Aggro (69%), Ladino Miracle (65%), Xamã Token (62%), Paladino Murloc (59%) e Ladino Missão (57%).

Adversários ruins: Druida Jade (29%), Sacerdote Control (31%), Sacerdote Dragão (37%), Mago Burn (39%), Guerreiro Provocar (42%), Mago Segredos (44%) e Guerreiro Pirata (45%).

Druida

Druida Aggro é ainda um deck excelente no formato, mas depende muito de posicionamento, pois seus adversários bons geralmente são ótimos e seus ruins são péssimos. É um deck que deve sofrer com o nerf da Missão do Ladino, pois não só perde um adversário fácil, a redução na presença dos Núcleos de Cristal no formato deve incentivar o aumento dos decks de Control, um grande pesadelo para essa lista.

Adversários bons: Ladino Missão (67% de vitórias), Druida Jade (62%), Guerreiro Pirata (61%), Paladino Midrange (61%), Paladino Murloc (60%) e Ladino Miracle (55%).

Adversários ruins: Guerreiro Provocar (30%), Mago Freeze (31%), Paladino Control (34%), Mago Segredos (41%), Sacerdote Control (44%) e Xamã Token (45%).

Druida Jade, o terror dos decks de Control, por outro lado achou excelente o nerf do Ladino. Com isso, não só o formato se abre para suas presas preferidas, um dos seus piores adversários sai de circulação. É um deck que tem crescido em popularidade no Modo Ranqueado e já é uma lista bastante comum em torneios, e a tendência é ganhar mais espaço agora.

Adversários bons: Mago Freeze (71% de vitórias), Guerreiro Provocar (70%), Paladino Control (67%), Mago Burn (62%), Xamã Midrange (58%) e Sacerdote Control (57%).

Adversários ruins: Ladino Missão (27%), Paladino Murloc (34%), Paladino Midrange (37%), Druida Aggro (38%), Ladino Miracle (41%) e Mago Segredos (42%).

Guerreiro

Guerreiro Pirata, apesar de ter perdido em popularidade para o Xamã Token, ainda é o grande deck do formato, tendo estado no topo dos tiers desde o lançamento de Jornada a Un’Goro (e desde antes, se você contar o Ano do Kraken). O seu grande diferencial é que ele possui muito poucos adversários ruins, o que o torna excelente para jogar no formato, pois sua chance de derrotar qualquer adversário é alta. Ao contrário do Aggro Druid, que deve sofrer com o nerf do Ladino, os Piratas devem continuar no topo por um bom tempo ainda.

• Adversários bons: Ladino Missão (64% de vitórias), Paladino Midrange (62%), Sacerdote Dragão (61%), Ladino Miracle (61%) e Sacerdote Control (59%).

• Adversários ruins: Xamã Token (38%), Druida Aggro (39%) e Paladino Control (45%).

Guerreiro Provocar é um deck que estava mal posicionado no formato até o anúncio do nerf num dos seus maiores problemas. Será que veremos o deck ganhar o seu lugar ao sol em breve?

• Adversários bons: Druida Aggro (70% de vitórias), Xamã Token (59%), Mago Freeze (58%) e Xamã Midrange (57%).

• Adversários ruins: Druida Jade (30%), Ladino Missão (31%), Paladino Midrange (32%), Paladino Murloc (38%) e Mago Segredos (42%).

Xamã

Xamã Token foi subindo aos poucos desde o início do mês até alcançar o topo de popularidade e porcentual de vitórias. É um deck que possui ameaças desde o início até o final do jogo e uma lista extremamente consistente, que praticamente não viu alterações desde o seu lançamento. Assim como o Guerreiro Pirata, ele possui poucos adversários ruins, o que explica seu elevado índice de vitórias. Porém, a maioria desses adversários eram decks que trepidavam para o Ladino Missão, o que pode acarretar na queda de rendimento do Xamã.

• Adversários bons: Ladino Missão (64% de vitórias), Guerreiro Pirata (62%), Ladino Miracle (60%), Caçador Midrange (58%) e Paladino Murloc (57%).

• Adversários ruins: Mago Freeze (38%), Guerreiro Provocar (41%), Sacerdote Dragão (43%) e Mago Burn (45%).

Xamã Midrange ainda é uma incógnita, pois existem várias versões, algumas focando mais nos Golens de Jade, outras mais no Elementais, algumas em ambos. De qualquer maneira, ainda é um deck que está mal posicionado, vide seu pífio índice de vitórias. Porém, é mais um deck que visa sair das cinzas da derrocada do Ladino Missão.

• Adversários bons: Sacerdote Control (56% de vitórias), Druida Aggro (54%), Ladino Miracle (54%) e Caçador Midrange (54%).

• Adversários ruins: Mago Freeze (20%), Ladino Missão (28%), Mago Burn (36%), Sacerdote Dragão (39%), Druida Jade (42%), Guerreiro Provocar (43%), Guerreiro Pirata (44%) e Xamã Token (44%) – acho que deve ser o maior exemplo de um deck mal posicionado no momento!

Ladino

Ladino Missão, descanse em paz. Havia muito o que falar sobre esse deck e sua função no formato, mas agora tudo cai por terra com o anúncio do nerf na Missão Cavernas nas Profundezas. Eu sinceramente não acredito que o deck sobreviverá ao nerf, pois já joguei bastante com ele para saber que muitas vezes invocar os 4 lacaios é complicado, especialmente contra aggro, e ainda torna adversários fáceis em problema quando você não consegue encontrar aquela última peça do combo. O impacto que a saída desse deck terá no formato é enorme, pois era a principal peça que colocava tanto os Control quanto o Druida Jade contra a parede. Vai ser um novo mês de metagame até o lançamento da nova série enquanto os jogadores tentam se adequar a ausência de um dos decks mais populares.

Adversários bons: Druida Jade (73% de vitórias), Xamã Midrange (72%), Sacerdote Dragão (72%), Guerreiro Provocar (68%), Paladino Control (67%), Sacerdote Control (63%) e Ladino Miracle (63%).

Adversários ruins: Druida Aggro (33%), Guerreiro Pirata (35%), Caçador Midrange (39%), Paladino Murloc (42%), Mago Freeze (43%) e Mago Segredos (43%).

Ladino Miracle é o meu deck preferido, mas também está num momento complicado, com vários adversários difíceis em momentos de alta popularidade. É mais aguardando o resultado do nerf para encontrar o seu espaço no metagame, já que possui bons índices de vitória contra Control e Druida Jade.

• Adversários bons: Sacerdote Control (63% de vitórias), Druida Jade (59%) e Paladino Control (55%).

• Adversários ruins: Mago Freeze (35%), Ladino Missão (37%), Guerreiro Pirata (39%), Xamã Token (40%), Mago Burn (41%), Guerreiro Provocar (43%) e Mago Segredos (44%).

Paladino

Paladino Murloc ainda é o principal representante do Paladino no formato, embora a classe como um todo tenha caído de popularidade. Assim como Mago Segredos, ele apresenta um bom índice de vitórias contra o restante do formato, mas negativo contra os top 2, o que reflete na sua presença menor. Algumas listas recentes estão fazendo uso da Chefe da Vila Sombria e da Lâmina da União para interagir bem com os vários lacaios de poucos pontos de vida, além de buscar uma curva de mana mais baixa. Pode ser um novo caminho que se abre para o deck. Outra notícia boa para esse deck é a redução no uso dos Caranguejos Famintos que rondam por aí. Por fim, é um deck com jogo bom contra várias classes oprimidas pelo Ladino Missão, então abra o olho para os Murlocs!

• Adversários bons: Druida Jade (66% de vitória), Sacerdote Control (66%), Paladino Midrange (62%), Guerreiro Provocar (62%), Mago Segredos (59%), Ladino Missão (57%) e Mago Burn (56%).

• Adversários ruins: Druida Aggro (40%), Mago Freeze (41%), Xamã Token (43%) e Guerreiro Pirata (43%).

Paladino Midrange, no meio termo entre o Aggro e o Control, demonstrou um bom índice de vitórias, com uma lista de adversários bons e ruins bem semelhante ao do seu irmão mais agressivo. No geral, eu acho que o Aggro está melhor posicionado, mas o Midrange ainda é uma boa escolha, especialmente se o Mago Freeze continuar a ganhar espaço (é um adversário equilibrado para esse deck, ao passo que é ruim para o Murloc). Seu grande problema ainda são os decks agressivos.

• Adversários bons: Guerreiro Provocar (68%), Sacerdote Control (67%), Sacerdote Dragão (63%), Druida Jade (63%), Paladino Control (61%) e Mago Burn (57%).

• Adversários ruins: Guerreiro Pirata (38%), Paladino Murloc (38%), Druida Aggro (38%), Xamã Token (46%) e Caçador Midrange (46%).

Paladino Control é um deck que não é tão popular devido ao custo de construção mas encontra-se na situação de ter jogos positivos contra o top 2 do formato. É também mais um a se beneficiar diretamente da saída do Ladino Missão.

• Adversários bons: Druida Aggro (66% de vitória), Sacerdote Control (57%), Guerreiro Pirata (55%), Caçador Midrange (54%) e Xamã Token (53%).

• Adversários ruins: Druida Jade (33%), Ladino Missão (33%), Paladino Midrange (39%) e Ladino Miracle (45%).

Sacerdote

Sacerdote Control é um deck em situação precária – poucos adversários bons e índices negativos contra os principais decks. Meu conselho? Corra!

Adversários bons: Mago Freeze (68%), Druida Aggro (56%) e Caçador Midrange 54%).

Adversários ruins: Paladino Midrange (33%), Paladino Murloc (34%), Sacerdote Dragão (34%), Ladino Missão (37%), Ladino Miracle (37%), Mago Segredos (41%), Guerreiro Pirata (41%), Druida Jade0 (43%), Paladino Control (43%), Xamã Token (44%) e Xamã Midrange (44%). Preciso falar mais?

Sacerdote Dragão, o deck que não sobreviveria à rotação (spoiler: ele sobreviveu), está num ponto intermediário, como jogos bons contra uma parcela significativa do metagame, mas igualmente jogos ruins contra outra parcela significativa. Pelo menos deve ganhar uma trégua após o nerf.

• Adversários bons: Sacerdote Control (66%), Mago Freeze (63%), Xamã Midrange (61%), Xamã Token (57%) e Mago Burn (55%).

• Adversários ruins: Ladino Missão (28%), Paladino Midrange (37%), Guerreiro Pirata (39%) e Mago Segredos (42%).

Caçador Midrange é um deck popular devido ao seu baixo custo, porém seu uso e impacto tendem a declinar nos Ranks mais elevados. É um deck extremamente mediano, com muitos adversários equilibrados e poucos bons ou ruins. É bom ver a classe jogando de novo depois do longo inverno de Geringontzan, mas esperamos que a próxima série aumente sua influência no metagame. Infelizmente seu melhor adversário era o nerfado Ladino Missão, então os dias do Rexxar até a próxima expansão não prometem muita coisa.

• Adversários bons: Ladino Missão (61%), Paladino Midrange (54%) e Guerreiro Provocar (53%).

• Adversários ruins: Xamã Token (42%), Druida Aggro (46%), Sacerdote Control (46%), Paladino Control (46%) e Xamã Midrange (46%) – é como se fosse o Super Mario dos decks, nem bom nem ruim.

 

Bruxo

O Bruxo está de férias, por favor entre em contato na próxima expansão.


É isso, pessoal. Foi bastante informação que eu soltei aqui e espero que esse artigo possa ser bastante útil para vocês. Se tiverem dúvidas, críticas, questionamentos ou informações adicionais, podem postar aí embaixo ou entrar em contato comigo diretamente pela minha página ou canal.

Um abraço a todos e até a próxima!


Elton Fior
Jogador de Magic desde 1996, Eltinho já foi 2 vezes vice-campeão brasileiro e se aventura no Hearthstone desde maio de 2014, sempre mirando o Rank Lendário. Sua classe preferida é a Ladina, mas ele joga de qualquer coisa – já conseguiu os 9 heróis dourados. Você pode entrar em contato pelo Facebook, Twitter, no seu proprio site ou no seu canal do youtube!

  • Bruno Ferreira

    Muito bom artigo, detalhado. Gostei! E descance em paz, bruxão!

    • Eltinho Fior

      Justo ficar no banco de reserva depois de tanto tempo como protagonista, hehe.

  • Alexandre Fontana Linhares

    Parabéns Eltinho! Ótimo artigo.

    • Eltinho Fior

      Valeu Alexandre! Você já acompanha o meu trabalho faz tempo!!

  • Gustavo Jawaad

    Tá jogando Magic ainda ? Se for, qual formato tu recomenda, modern ou Standard?

    • Eltinho Fior

      Não tô jogando, mas acompanho o formato.
      Modern tá bem legal e standard tava uma catinga até o ban no Marvel. Vem série nova em breve, então o standard deve ficar interessante de novo. Tenso do modern é o custo inicial.

      • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

        Tudo tá com custo inicial elevado! Credo! Tava vendo um deck meio bom do Standard e tava 300 conto! Tá loco! Mas ainda assim é o formato construído mais barato de se jogar.

        • Gustavo Jawaad

          Realmente Magic tem um custo caro, mas o bom é que tudo pode ter retorno.

          • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

            Nem sempre, fera! Se a carta custa 50 no Standard, mas não rodar nem em Modern e nem em Legacy, quando rotacionar, você ganhou um lindo pedaço de papel!

      • Gustavo Jawaad

        Obrigado pela informação, estou voltando ao Magic pouco a pouco.

        Vou investir no modern pois estou meio caminho andando ja hehe.

        Aliás, ótimo post, espero que continue ai com a gente nos ajudando em HS também.

  • Alan Moura

    Eu sou 1,40% da comunidade #BruxãoDaMassa

  • Leonardo Rabelo Luttembarck

    Já se tem uma data certa do nerf na missão de ladino?

    • Eltinho Fior

      Eu não sei a data certa ainda, mas acredito que deva ser no próximo update.

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Provavelmente, logo depois das finais de Primavera, ou seja, terça da semana que vem.

      • ArdilanteCabuloso

        Já anunciaram como será nerfado ou apenas informaram que haverá um nerf na quest?

        • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

          Sim, da maneira mais tosca possível: vai passar para cinco vezes o invés dos atuais quatro.

  • Daniel Martines Viana

    ótimo artigo, só foi uma pena não ter colocado o link pra copiar cada deck, como já tinha no DONM 29….

    aquilo ajuda demais

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Opa, estamos estudando como vamos fazer isso aqui no site de forma automatizada, pois fazer um a um manualmente dá muito trabalho.

  • Gabriel Guazzelli

    Parabéns pelo artigo, muito bem explanado, com o percentual de distribuição das classes, porcentual de vitórias e popularidade no meta. Ficou melhor que o do vicioussyndicate e da tempostorm. Só faltou o link para copiar os decks.

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Estamos vendo como vamos fazer isso aqui no site de forma automatizada, pois fazer um a um manualmente dá muito trabalho.

  • André

    Parabéns pelo artigo Eltinho
    Sobre o link galera, ele mesmo disse que utilizou de base o VS, usa o link do VS, e só da uma conferida se tem algumas mudanças em relação a lista do MardukTV.

  • Riquelme Lima

    Próximo de olho no meta no ano da girafa hahaha espero que não, belo artigo! !

    • Eltinho Fior

      Ano da girafa vai ser tenso!

  • vacaemchamas

    Primeiro parabéns pelo artigo Eltinho, que venham mais análises. E sobre os códigos dos decks eu gostaria de incentivar a galera que leu o artigo a comentar o código do deck na parte dos comentários na página deles, enquanto a galera aqui da Mktv não arruma um jeito automatizado de fazer isso. Eu vou começar comentando o do Pala mid lá na página dele.

  • Filipe Cunha

    Muito bom artigo. Parabéns cara.

  • Daniel Moura

    Eles crescem tão rápidos ;-;, Ficou excelente mano <3

  • Pingback: Os principais cards lendários do formato Padrão()

  • Felipe Leal

    Parabens pelo artigo, que venha mais vezes

  • Leandro Matias

    Olha, a sua análise ficou bem mais informativo e detalhada do que as anteriores. Parabéns! Só senti falta de uma análise para o Wild também.