HEARTHSTONEDe Olho no Meta #38 – Sangue Será Derramado

ELTON FIOR 2 de outubro de 2017

E aí pessoal, beleza? Eltinho aqui de novo para trazer a mais nova análise do novo Meta após o Lich Rei invocar o Poder do Nerf no formato. E embora muitas pessoas não tenham ficado contentes com as alterações impostas, é inegável que o formato foi drasticamente alterado. Porém algumas surpresas surgiram das cinzas da queda de Malfurion Tempesfúria. Mas vamos aos números antes de discutir as mudanças na balança de poder das classes.

Os dados do Meta foram analisados pelo Vicious Syndicate com base em 140.000 jogos entre 18 e 26 de setembro. A divisão por popularidade de classes ficou assim:

Sacerdote – 18,6% (aumento de 1,6%)

Caçador – 16,9% (aumento de 9,2%)

Ladino – 13,5% (aumento de 8,2%)

Mago – 11,6% (aumento de 1,3%)

Druida – 10,5% (redução de 17,3%)

Xamã – 10,4% (aumento de 3,8%)

Bruxo – 7,9%  (aumento de 1,9%)

Paladino – 6,1% (redução de 3,3%)

Guerreiro – 4,5%  (redução de 5,4%)

Como é possível ver nos números acima, as classes nerfadas desmoronaram: o Druida foi trazido a um patamar mais tolerável e o Paladino e Guerreiro foram parar na rabeira de popularidade. O nerf não afetou negativamente o Xamã, pois seu principal deck não usava a Bagata, na verdade a classe melhorou seu posicionamento.

E se a previsão era de que o Anduin se tornasse o novo rei do formato, ela se concretizou, mas não da forma dominante que muitos esperavam, pois outras 2 classes se aproveitaram muito melhor do vácuo de poder, conquistando muito espaço e subindo na presença do formato – o Caçador e o Ladino, por motivos que citarei abaixo. Mago e Bruxo tiveram crescimentos pequenos mas dentro do esperado pelo espaço deixado pelas 3 classes que caíram.

E para entendermos melhor a cara do novo formato, é bom analisar como os arquétipos ficaram distribuídos depois dessa bagunça toda. Abaixo seguem as listas com pelo menos 2% de participação no formato:

Caçador Midrange – 16,13% (aumento de 9,23%)

Sacerdote Razakus – 14,60% (aumento de 1,82%)

Xamã Token – 10,22% (aumento de 4,32%)

Ladino Tempo – 9,44% (menos de 2% na última análise)

Druida Jade – 7,32% (redução de 8,15%)

Mago Segredos – 5,46% (aumento de 2,51%)

Bruxo Control – 5,30% (aumento de 0,50%)

Mago Control – 3,36% (aumento de 0,36%)

Sacerdote Big – 2,86% (redução de 0,71%)

Ladino Miracle – 2,62% (redução de 0,52%)

Paladino Murloc – 2,60% (redução de  3,76%)

Mago Exodia – 2,53% (redução de 0,51%)

Bruxo Zoo – 2,49% (menos de 2% na última análise)

Guerreiro Piratas – 2,35% (redução de 4,92%)

Druida Aggro – 2,14% (redução de 7,60%)

Outros – 10,58% (redução de 4,5%)

Como eu falei na divisão das classes, Caçador e Ladino se deram muito bem com a nova configuração do formato. O primeiro ganhou espaço por jogar bem contra o Sacerdote, portanto tinha bastante presas para se alimentar. Já a ascensão do Ladino (e de outras classes) tem um nome: Príncipe Keleseth.

Antes ignorado pela grande maioria dos jogadores, esse card Lendário oferece uma grande dose de poder em troca de sacrifício de consistência no seu deck – tal qual o bigodudo Reno Jackson para os decks Control há um tempo atrás. Quando Piratas e Murlocs dominavam e eram mais consistentes, os jogadores não achavam a troca por poder do Keleseth válida, mas com esses decks perdendo força, uma aposta de grande risco-grande recompensa no Príncipe de 2 manas passou a ser mais interessante. Assim, ele passou a jogar em grande parte dos decks Aggro, sobretudo no Ladino e Bruxo, mas também pode ser encontrado em listas de Paladino e Guerreiro. E como o Ladino se mostrou a classe que melhor faz uso dele com o Passo Furtivo, além de ser mais consistente nos jogos em que ele não dá as caras, a classe subiu feito um foguete no Meta.

Já as classes afetadas pelo nerf perderam muitos adeptos, com a queda mais pronunciada sendo a do Druida Aggro, que foi reduzida a quase um quinto do que era antes. Paladino Murloc e Guerreiro Piratas também foram dizimados. Mas o grande vilão, Druida Jade, embora tenha perdido mais da metade dos seguidores, ainda continua um deck forte e com presença significativa, o que é aparentemente o que a Blizzard queria, já que não afetou diretamente os cards-chave do deck.

Já a divisão por tiers de porcentual de vitórias na última semana é a seguinte e revela um formato mais balanceado no equilíbrio de poder:

Tier

Deck

Porcentual de Vitórias

Variação desde a última análise

Popularidade no Meta

Tier 1
(52%+)

Ladino Tempo

55,15%

Sem análise prévia

Paladino Murloc

52,80%

-1,76%

11º

Xamã Token

52,73%

+1,72%

Tier 2
(50-52%)

Druida Aggro

51,98%

-1,17%

15º

Mago Segredos

51,74%

+0,73%

Guerreiro Piratas

51,63%

-2,97%

14º

Bruxo Zoo

51,40%

+8,72%

13º

Sacerdote Razakus

50,84%

+1,70%

Caçador Midrange

50,78%

+2,72%

Druida Jade

50,70%

-3,88%

Tier 3
(47-50%)

Sacerdote Big

48,96%

-0,24%

Tier 4
(47%-)

Bruxo Control

44,69%

+0,26%

Mago Control

44,33%

-1,45%

Ladino Miracle

44,12%

-1,90%

10º

Mago Exodia

41,93%

-1,93%

12º

Se é uma surpresa que o Ladino Tempo tenha conquistado tantos seguidores nas últimas duas semanas, não é difícil entender ao se olhar o seu percentual de vitórias, quase 2,5% mais eficiente do que o segundo colocado. Isso se deve muito ao fato de possuir poucos adversários ruins e por ser novo no Meta, muitos jogadores ainda não se adaptaram à sua presença. Mas os números de Rastejantes de Golakka nas listas que não usam Keleseth já começaram a aumentar como resposta à nova ameaça.

Druida Jade, Druida Aggro, Paladino Murloc e Guerreiro Piratas, afetados pelo Nerf, viram seus índices afundarem significativamente, o que era de se esperar. Com isso, os decks mais Midrange ganharam um gás, além do Razakus. Já os demais decks de Control caíram para níveis bem baixos por demonstrarem grande dificuldade em lidar com as listas de Keleseth.

Por falar em Keleseth, sua presença deu um impulso impressionante a uma lista que andava esquecida: Bruxo Zoo está de volta com um crescimento de rendimento impressionante de quase 9% a mais do que rendia antes do nerf – tanto que nem preenchia o requisito de 2% do formato para ser listado aqui nos artigos. Se o Bruxo Control ainda anda meio capengando, os fãs da classe esquecida por Un’Goro podem tirar seus Demonarcas da aposentadoria e partir para o ataque.

Por motivos pessoais (que em breve devo postar no canal), não consegui fazer a análise detalhada dos decks e seus adversários bons e ruins nessa semana, mas esse nova leitura do Meta é muito importante para deixar passar em branco. Então na próxima análise, eu me aprofundarei nas listas dos decks.

Um abraço a todos e até a próxima!


Elton Fior
Jogador de Magic desde 1996, Eltinho já foi 2 vezes vice-campeão brasileiro e se aventura no Hearthstone desde maio de 2014, sempre mirando o Rank Lendário. Ele é o autor do livro de estratégia Segredos de Hearthstone. Sua classe preferida é a Ladina, mas ele joga de qualquer coisa – já conseguiu os 9 heróis dourados. Você pode entrar em contato pelo FacebookTwitter, no seu proprio site ou no seu canal do youtube!

  • Lucca Vanin

    pra mim nao mudou nada,ainda nao sai do rank 4de xama token

    • Everton Melo

      Ué, tá bom demais, eu não saio do rank 15 com token xamã!

  • Matheus

    Valeu Eltinho, resumido mas bem feito
    Obrigado

  • Rafael

    É, acho que o nerf foi um pouco mais impactante do que eu esperava. Que bom.

  • Thiago de Oliveira

    De olho no meta sempre colaborando pra ter um melhor entendimento do que tá acontecendo na rankeada. Obrigado pelo material Eltinho!

  • Leandro Matias

    A melhor coisa do NERF é que o guerreiro pirata não é mais tão retardado. A pior parte é o guerreiro ficou sem um deck bom de verdade.

  • Leandro Jose Ferreira

    curti demais sua análise. e choro aqui a queda do warrior, sendo obrigado a usar um priest highlander ou exodia mage para desestressar