HEARTHSTONELore: Os Quatro Cavaleiros

SuperUai 3 de outubro de 2017

Hello people! Eu sou a Renatinha da Taverna das Lendas, tudo de boas?

Hoje é nossa estreia por aqui, eu e minha equipe vamos trazer as Lores dos personagens do nosso querido joguinho pra vocês.

O que raios é lore?

Resumidamente, o termo lore se refere ao conjunto de informações a respeito de um universo. A história, a cultura das raças, a relação entre os personagens, a geografia. O termo deriva do inglês arcaico e quer dizer, numa tradução livre, lenda ou conhecimento popular. Incorporado ao mundo dos jogos, é o que chamamos de “pano de fundo”, ambientação ou contexto. Tudo isso está incluso no que as pessoas se referem por “lore”.

Muitas vezes jogamos com cards de personagens que não temos ideia de onde vieram ou o motivo de seus efeitos e interações, alguns são aleatórios mesmo, mas a grande maioria não. Como o HS tem como base o WoW, logo quase tudo vem de lá, e se tem um jogo super rico em lore, esse jogo é o World of Warcraft, então vamos explorá-lo juntos?

Com a expansão Cavaleiros do Trono de Gelo vieram as novas cartas de Cavaleiros da Morte (os Death Knights, ou CdM para encurtar), que é nada mais nada menos que nossos queridos Heróis corrompidos pelo poder o Lich Rei!

Nesse primeiro episódio, vamos falar de um que a comunidade gostou bastante, apesar de não ter visto jogo ainda: Uther da Lâmina de Ébano. Abordaremos aqui, mais precisamente, a representatividade do Poder Heroico do Uther que é “Os Quatro Cavaleiros”, uma referência direta às entidades descritas na Bíblia, conhecidos também como Cavaleiros do Apocalipse, pois ambos vem executar juízo sobre os inimigos. Após se transformar em Cavaleiro da Morte, seu poder heroico consiste em evocar quatro cavaleiros para destruir o herói inimigo independente de Vida, Armadura ou Segredo para se manter vivo (Bloco de Gelo). Você realmente destrói sem dar chance alguma de sobrevivência para o seu adversário, que é ‘O Apocalipse’.

Deixando um pouco a explicação da carta de lado, vamos ao que interessa não é mesmo?

Origem dos Cavaleiros

Quando o Uther é corrompido pelo poder do Lich Rei, ele se autodenomina como um punidor dos impuros (não corrompidos), a frase da carta faz referência direta: “Adiante-se. Venha Confessar! Eu não passava de um reles servo da Luz. Agora apenas eu julgo.” Esse julgamento e a punição seriam através dos Quatro Cavaleiros que são: Necrolorde Nazgrim, Thoras Matatroll, Inquisitora Cristalba e Darion Mograine. Sendo esses evocados uns após o outro quando utilizado o poder heróico.

Os Quatro Cavaleiros fazem parte dos Cavaleiros da Lâmina do Ébano que é um grupo de Cavaleiros da Morte. Esses novos Quatro Cavaleiros liderados por Darion Mograine são ferramentas importantes nas batalhas contra a Legião Ardente (na expansão Legion do WOW). Antes, em The Wrath of the Lich Rei, tivemos outros cavaleiros: Os Cavaleiros do Flagelo. Os originais eram: Alexandros Mograine (pai de Darion Mograine), Barão Rivendare, Lady Blaumeux, Thane Korth’azz, Sir Zeliek (desses, falaremos com mais detalhes em outro episódio). Abaixo temos uma breve explicação sobre os atuais e em destaque, Os Quatro Cavaleiros:

Necrolorde Nazgrim

Foi o primeiro dos quatro cavaleiros. Quando vivo, era um dos orcs generais da Horda. Em morte, foi um poderoso campeão dos Cavaleiros da Lâmina do Ébano. Poucos vivos ou mortos se igualaram ao seu poder durante as batalhas. Após a derrota do Lich Rei, durante o Cataclisma, ainda vivo, ele foi promovido a legionário e enviado para Vashj’ir. Nazgrim embarcou num navio mercenário que se dirigia para o mar, mas o navio foi atrapalhado por um ataque naga (O naga serpentino – às vezes pluralizado como “nagas” – são alguns dos vilões mais formidáveis de Azeroth. Mestres da feitiçaria, os naga eram anteriormente Elfos Noturnos, membros da corte da rainha Azshara na Guerra dos Antigos. Eles foram transformados em naga pelos Deuses Antigos, e agora assombram os mares de Azeroth construindo uma grande civilização no fundo do oceano). Nazgrim tentou lutar contra os inimigos serpentinos, mas foi jogado ao mar; seu navio foi posteriormente destruído pelo grande Kraken Ozumat. Nazgrim sobreviveu à provação com a ajuda de Erunak Stonespeaker e reuniu-se com os outros sobreviventes. O grupo descobriu que estavam nas águas de Vashj’ir, em meio a vários conflitos e a opressão local posta em prática pelo naga. Nazgrim e o partido tentaram lutar contra um assalto naga, no entanto, eles foram capturados no processo e trazidos para um nespirah (um guardião ancião) controlado pelos naga, onde foram colocados para trabalhar como escravos. Nazgrim e Erunak escaparam desse destino, e libertaram Nazgrim da sua situação algum tempo depois. Logo após, ele foi promovido novamente, só que para General dessa vez, e foi enviado para Pandaria. Defendendo seu juramento ao Chefe Guerreiro, Nazgrim permaneceu fiel a Garrosh, Grito Infernal, durante a Rebelião dos Lança-Negra e foi morto durante o cerco a Ogrimmar, ocorrido na Terceira invasão da Legião Ardente. O senhor da morte da Lâmina do Ébano logo depois trouxe Nazgrim de volta aos mortos-vivos, como o primeiro dos Quatro Cavaleiros.

Thoras Matatroll

Foi um guerreiro humano que reinava Stromgarde, ele recebeu esse nome dos seus antepassados devido às guerras que ocorreram nessa região, conhecidas como guerras tróllicas. Ele manejava um poderoso machado, conhecido como o Matatroll, mas também dominava bem a temida espada Trol’kalar. Ele foi o membro fundador da Aliança de Lordaeron durante a Segunda Guerra. Após a vitória contra os orcs, Thoras discordou de algumas regras a respeito do que fazer com os orcs, uma delas era mandar os que sobreviveram para um campo de concentração, pois Thoras afirmava que eles eram muitos perigosos para serem mantidos vivos.

Anos depois ele se afastou da Aliança, sendo o principal motivo o seu desentendimento com seu amigo e rei, Terenas. Um pouco antes da Terceira Guerra, ele foi assassinado por seu filho, príncipe Galen. Seu corpo foi movido para o túmulo de sua família e Galen assumiu o trono como governante do pouco que restou de Stromgarde, após o ataque das forças do Sindicato e dos Ogros Punho de Pedra.

Thoras foi procurado em sua tumba e os Cavaleiros da Morte o ressuscitaram como membro dos novos Quatro Cavaleiros. Sentindo que ele falhou como pai, pela morte nas mãos do filho, e como rei, com a destruição do seu reino, Thoras se convenceu a lutar pelos Cavaleiros da Lâmina do Ébano.

Inquisidora Cristalba

Sally Cristalba nasceu e cresceu em Lordaeron. Quando o Flagelo atacou Lordaeron, Sally viu sua família ser devastada pela praga lançada por Kel’thuzad e sua Seita e que se espalhava pelo norte do reino. Sally se vê forçada a dar um fim aos seus parentes quando eles levantaram como servos do Lich Rei. Esse fato por si só a deixou angustiada e tomada pela raiva e pela culpa. Assim, ela foi subindo na organização da Cruzada Escarlate, tornando-se uma líder por seu próprio mérito.

Agora detendo o título de Alta Inquisidora, ela só encontra paz na destruição dos mortos-vivos. Sejam eles conscientes, como é caso dos Renegados, ou não. A Cruzada Escarlate tem ligação com a fé da Luz Sagrada em Azeroth, eles são uma organização religiosa dedicada a erradicar os mortos-vivos da face da terra. Instalados na Clareiras de Tirisfal, eles enfrentam com mais frequência os residentes mortos-vivos do que restou do reino de Lordaeron, os Renegados.

O monastério já foi o orgulho do sacerdócio de Lordareon, um centro de aprendizado e esclarecimento. Entretanto, com o surgimento dos flagelos dos mortos-vivos, durante a Terceira Guerra, o tranquilo monastério foi convertido em uma fortaleza da fanática Cruzada Escarlate. Sob o comando de Cristalba, os membros da Cruzada Escarlate, se tornaram mais e mais extremos nas batalhas contra o flagelo. Cristalba e seus seguidores confiavam em ninguém que não fosse da Cruzada, considerando-os amaldiçoados. Inúmeros inocentes, homens ou mulheres, foram torturados e eventualmente mortos. Raleigh (ex-membro da Cruzada Escarlate, que ele deixou depois de testemunhar pessoas inocentes sendo torturadas simplesmente porque não eram membros) e Varimathras (um Senhor do Medo a serviço da Legião Ardente) estavam determinados a eliminar quem estava na liderança do monastério, entre outros motivos, eles acreditavam que a única maneira pela qual a Cruzada escarlate poderia ser trazida de volta ao seu propósito original era remover os líderes corrompidos. Cristalba sobreviveu ao primeiro assalto ao Mosteiro e voltou para liderar as forças. A razão pela qual ela ainda estava viva era por causa de sua imensa capacidade de ressurreição e a única maneira de tornar sua morte permanente seria empurrar as Lâminas do Ungido em seu cadáver.

Lilian Voss, tempos depois de escapar de ser executada pela Cruzada Escarlate por ordem de seu pai que não aceitava sua condição de morto-vivo, juntamente com os aventureiros da Horda e da Aliança abriram caminho pelo Mosteiro e, finalmente, esfaquearam as lâminas no cadáver de Cristalba, fazendo com que ela não pudesse ressuscitar novamente. Na Legião, ela foi ressuscitada por Thassarian para servir como 3° membro dos novos quatro Cavaleiros. Enquanto a morte a livrou de sua loucura, seu espírito permanece forte

Darion Mograine

É o Senhor da Morte dos cavaleiros da Lâmina do Ébano, uma ordem de cavaleiros renegados que foram libertos pelo Lich Rei.

Filho de Alexandros Mograine, um ex-cavaleiro da Aurora Argêntea e ex-líder dos cavaleiros originais do Flagelo que tomou posse da Crematória Corrompida. A Crematória é uma espada poderosa e seu nome vem da sua habilidade de matar os mortos-vivos e não deixa nada além de cinzas. O filho mais velho de Alexandros, Renault, o traiu e o assassinou com a espada lendária, transformando-a na Crematória Corrompida.

Após a morte de seu pai pelas mãos do seu irmão, Darion começou a questionar a Luz antes de encontrar com o sacerdote troll, Zabra Hexx. Depois de ser aconselhado pelo troll a procurar seu pai em uma fortaleza que flutuava acima de uma cidade em chamas, Darion se juntou à recém-formada Ordem da Aurora Argêntea. Alexandros foi ressuscitado como um cavaleiro da morte para liderar os quatro cavaleiros do flagelo e manteve a Crematória até Darion matá-lo em Naxxramas e reclamar a lâmina. Darion descobriu depois que a alma de seu pai havia ficado presa na espada, então ele a mergulhou em seu próprio coração tentando salvá-lo. A alma de seu pai foi redimida, mas Darion tornou-se um cavaleiro da morte.

Tempos depois, o Lich Rei ordena Darion e seus outros Cavaleiros da Morte que ataquem a Capela da Esperança da Luz. Chegando no local, Darion notou a Crematória se recusava a matar qualquer alvo e que ela não mais seguia as suas ordens. Um de seus generais fugiu do local de batalha por conta do imenso poder sagrado que emanava do terreno da Capela. Tirion Fordring e seu exército entra na batalha e consegue derrotar Darion, que admite a sua derrota. Neste momento o Lich Rei aparece para poder derrotar Tirion e conta que tudo aquilo foi um plano seu para poder tirar o Tirion do esconderijo e que Darion foi uma peça descartável. Darion Mograine se revolta contra o seu mestre, mas é facilmente subjugado por Arthas. Sem mais nenhuma chance de reação ou escapatória, Darion joga a Crematória Corrompida para Tirion e este consegue finalmente purificar novamente a espada lendária e em uma combinação de toda a sua fé na Luz e o grande poder do solo sagrado da Capela, Tirion consegue afastar o Lich Rei do local.

Darion fica revoltado com a traição do Lich Rei e começa a liderar os Cavaleiros da Lâmina do Ébano em uma campanha para limpar as forças leias ao Lich Rei na Fortaleza do Ébano e estabelecer um novo refúgio para todos os Cavaleiros da Morte.

Finalizando

O que vocês acharam dessas incríveis aventuras? Comentem e deixem sugestões para nosso próximo artigo. Até lá!

Fontes de pesquisa: Wowpedia, Wowgirls, A voz de Azeroth, Wowwiki, Lendas de Azeroth.

  • VagãoVeloz Alyson

    Elfos*

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Atualizado!

  • Bruno Hermogenes

    Olha rapaz… que deleite, adorei.

  • Osvaldo Neto

    Top demais ein
    Wow e o propio warcraft são ricos em historia
    So uma duvida galera quem que qnd ataca diz “Nada alem de cinzas”?

    • Diemisson Lima

      Mano é o Fandral Guenelmo

  • Dayvison Carlos

    Amei man muito bom… Só tem uma correção que deve ser feita, vc disse que as nagas derivaram dos duendes noturnos, na verdade são ELFOS noturnos, fora isso show de bola.

    • http://www.youtube.com/SuperUai SuperUai

      Corrigido!

  • Fernando Borba

    Sensacional!
    Não jogo WoW por falta de tempo, e por esse motivo desconheço muito da história dos personagens.
    Esse é o tipo de artigo que leitores como eu, adoram!
    Parabéns pelo grande trabalho!

  • Kaito Sensei

    Muito bom!
    É bacana conhecer um pouco mais do Lore do jogo, que é muito rico e interessante.
    Parabéns pela iniciativa o/

  • Allan Cassio

    Muito legal. Joguei wow um pouco mas não gostava muito de ler todos os dialogos kkkk parabéns
    PS. esse eu li tudo kkk

  • Léo Maia

    Muito bom

  • Renata Cassa Leãode Oliveira

    Certo Allan, ele vai pra fila, anotado 😉