HEARTHSTONEO que esperar do meta após o nerf

WILLIAM MARQUES 3 de fevereiro de 2018

Nerfs anunciados, mais uma vez alguma carta da coleção recém lançada precisou ser consertada, e cá estamos ansiosos mais uma vez para ver essas mudanças no meta-game.

Antes de falar sobre o impacto das mudanças, vamos falar sobre o impacto da “não-mudança” das cartas: ou, por quanto tempo passamos jogando com cartas quebradas para a curva ou combos impossíveis de se defender. Para a maioria dos jogadores, é muito frustrante jogar Hearthstone depois do rank 5 da ranqueada. Depois desse rank, os decks começam a convergir para um meta mais estável, e as pessoas começam a jogar na maioria com os decks mais fortes do meta. Acontece que, quando temos cartas quebradas como o Rastejante do Corredor ou o Raza, o Acorrentado e passamos a ver essas cartas todos os jogos, o jogo começa a ficar um pouco estressante. Estamos a 2 meses da rotação de Geringontzan, por exemplo, e o amigo Remendo, o Pirata vai ser nerfado com um atraso gigantesco de quase 2 anos. Precisamos de nerfs/buffs mais rápidos que esses para continuar nos divertindo com o jogo sem tanto estresse de “Perdi o jogo porque meu oponente teve Raza/DK na curva e eu não comprei nenhum dos dois”. Concordam? Pois chega de reclamações e vamos ao que interessa.

Nerf no Remendo

Nenhum nerf era tão esperado quanto esse: são quase 2 anos de incômodo. A lendária mais jogada do jogo, já apareceu em todos os arquétipos possíveis: Combo, Controle, Aggro. Poderia ser usado tanto para agressivar, como para controlar o campo no começo do jogo, como para simplesmente filtrar o deck. O Remendo com investida era uma carta boa demais e desde o seu lançamento, nenhum jogador poderia não ter o Remendo na coleção. Composições de campeonatos quase sempre levavam no mínimo 2 decks com Remendo, desde o lançamento da carta. Motivos para o nerf são infinitos. Mas o que vai ser do meta depois do nerf?

Bom, agora decks agressivos que não usavam o Remendo por natureza, como Paladino Murloc e Mago Segredo vão subir. O turno 1 agora vai ser muito diferente, e poderemos ver a volta do Xamã agressivo também. Outras classes vão se beneficiar com o meta 1 turno mais lento: Ladino Milagre/Missão, Druida Jade, Paladino Midrange/Controle.

O mais importante agora é que, com um turno a menos de iniciativa, os decks agressivos vão ter que se virar para ganhar a iniciativa do campo sem esse 1/2 de dano grátis, e isso vai ser muito saudável para o metagame. Com certeza veremos partidas decididas mais pela decisão dos jogadores do que pelo fator “Compra de Remendo no turno 1”, que desequilibrava as partidas em quase 30%.

Nerf no Raza

Um dos nerfs mais esperados de todos aconteceu depois dessa expansão ter escancarado o poder de “Stall” do Sacerdote: Isto é, o poder que a classe tem de enrolar o jogo até montar o combo que precisa. Raza + DK antes de KNC já era um combo quebrado: o meta antes da expansão já se resumia a Highlander e decks que ganham de Highlander. Com a adição de Grito Psíquico ao deck, os amigos agressivos começaram a desaparecer dos tiers mais altos pouco a pouco, até sobrar somente o Sacerdote por lá. Grito Psíquico mostrou que Raza+DK é um combo que não pode existir, quando você consegue juntar no mesmo deck: Controle de Campo + Cura + Compra de Carta + Dano Face que ignora Provocar. A Blizzard seria obrigada  nerfar uma das 3 cartas, ou os jogadores pirariam de ver tanta mirror de Sacerdote, que tem pouco fator “habilidade” envolvida, a não ser quem compra mais cartas/ quem deixa o inimigo ciclar menos.

Com o Nerf, Raza+DK continua limpando o campo e enrolando a partida, mas destrói o potencial de OTK. Não é mais possível dar 48 de dano em um turno como era possível com a passiva custando 0. Mas ainda é possível dar reset no poder heróico e incomodar o adversário com o valor infinito da passiva. O potencial do deck com certeza vai diminuir muito, e isso vai beneficiar muito as classes que sofriam horrores com o OTK do Sacerdote: Xamã e Bruxo, por exemplo. Veremos no meta um crescimento maior do Bruxo Controle, um deck que ganha de quase todos os decks que não se chama Highlander. O Bruxo controle é muito consistente contra os aggros e consegue trancar o Late Game dos controles com a Rin ou o Geist Esquivo.

Outra classe que vai respirar depois do nerf será o Guerreiro. A armadura que o Guerreiro subia não era suficiente para segurar os infinitos stacks da passiva do Sacerdote, mas agora será. O potencial dos decks de Guerreiro dessa expansão é alto, mas era limitado pelo poder do combo do Sacerdote. São vários os arquétipos de Guerreiro que poderão aparecer: Guerreiro Big, Guerreiro Evocador, Guerreiro Controle, Guerreiro Mill.

Nerf no Rastejante do Corredor

Esse nerf foi o mais suave dos nerfs anunciados. Muitos jogadores reclamavam do fato de jogar um bicho muito grande muito rápido no jogo: Continuarão reclamando, já que o Corredor ainda vai entrar nos mesmos turnos que entrava antes. Agora com 3 ataque a menos, porém, o potencial de instawin da carta diminui, mas não seu potencial de controle de campo ou de combo. Com um meta mais lento, o Corredor vai continuar aparecendo em decks como o de Xamã, que pode combar a carta com a mecânica de Evoluir, ou de Ladino, que precisa de cartas custando 0 para combar com o Menestrel ou Agente da AVIN.

Mas apesar de continuar aparecendo, a agressividade dela vai diminuir muito, o que vai favorecer decks que são agressivos mas que não interagem tanto com o campo: Como o Caçador Face ou Mago Segredo. Sem o Remendo também para diminuir o custo da carta, o Rastejante pode diminuir ainda mais sua aparição, nos dando outras alternativas de agressividade que ainda não foram testadas. E claro, esse nerf favorece muito os controles, que não vão mais precisar lidar com duplo Rastejante no turno 4.

Nerf na Égua Esquelética

Outro nerf que é importantíssimo, mas que não destrói a carta. O Meta não vai mudar muito por causa desse nerf em específico. A carta desde que foi lançada já estava sendo aclamada como a mais forte da expansão por todos os card reviews. Aumentar o seu custo para 8 não vai mudar nada para os decks tempo, que continuarão usando a carta. Mas agora ela terá que disputar espaço com o Lich Rei na construção dos decks, o que pode fazer com que os jogadores cortem uma cópia dos seus decks.

O potencial de mudanças no meta, porém, é bem pequeno. Os outros nerfs mexerão muito no meta, mas a Égua continuará por aqui, mais fraca, mas ainda viva. Com os decks tempo mais fracos, decks combo ficarão mais fortes no meta, e com um turno a mais, Decks de Missão poderão se beneficiar com o nerf: Mago Missão, Ladino Missão e assim por diante. Uma classe que pode ser prejudicada indiretamente com o nerf é o Xamã, já que agora evoluir uma criatura 7 manas pode lhe dar um fraco drop 8 5/5.

Essas foram as análises dos impactos dos nerfs da MKTV. Estamos tão ansiosos como vocês para sentir esses nerfs na ranqueada.


Gostou do artigo? Faça uma pequena doação! Saiba que esse artigo é um conteúdo voluntário e qualquer quantia por menor que seja já nos ajuda!


Em caso de doação o nome e a foto do doador será postado na aba Doações.

William Abaporu

Abaporu, velho jogador de Hearthstone, um dos primeiros a se classificar para uma qualificatória de mundial. Gosta muito de matemática e de dar Patada na cara do adversário no modo Padrão e no modo Livre. Você pode entrar em contato comigo pelo Facebook e pelo Twitter.

  • Lucca Vanin

    só espero q o ladino missao volte,qd chegam nos nerfs?

  • Vinicius Tanaka

    Uma coisa que aprendi no HS, é que sempre vai ter um deck aggro apelão. Talvez volte um shaman ou um warrior quem sabe? Quero ver a atuação do big priest.

    • Brockbell

      Certeza tbm como ou Druid e/ou Priest vão estar no topdecks kkkkkkkk

  • Brockbell

    Vida de card game é assim. Hoje o nerf é no sacerdote (merecido), amanhã a reclamação pode ser no druid ganhando mais armor que warrior, no Cube… Eu só acho que a blizard deveria ser mais rápida na hora de nerf, e lançar quantidade de cartas maiores, e assim existir uma quantidade de decks diferentes maiores e logicamente mais decks como respostas a outros decks. Além de tornar o jogo menos repetitivo. (Dependendo do rank vc só joga contra 5 a 6 topdecks diferentes, todos os dias até o próximo lançamento -.-)

  • Renan Telles

    A Blizzard joga mais de 6 meses com as cartas antes do lançamento, eles já sabem o que vai dar problema…a única razão pra demorar tanto assim o Nerf é incompetência.

  • Marcos Rocha

    Blizzard nerfou o druida por causa do poderoso “OTK” de 20 e poucos de dano e depois criou o OTK do Priest com + de 7000! de dano que não é parado por provocar!

    A Blizz não só demora a nerfar, como tb faz maluquices que, desde o início, sabe que vão dar problemas. Mas fazem de caso pensado, ingenuidade achar que deixariam isso existir se não fosse do interesse deles.

    • Brockbell

      Pois é cara, é cada coisa sem sentido. Se não for de caso pensado é incompetência por falta de ideias, e empurram a única coisa que conseguiram criar. Ai deixam pra galera jogar por um tempo, msm sabendo que é bem OP, depois nerfam pra que lançamentos futuros possam parecer jogáveis. ( Como provavelmente o Cube vai ser agora.)

      No começo eu tive paciência por ser um estilo de jogo novo pra blizz, parei de jogar umas 2 vezes de mais de um ano cada e voltei em dezembro passado. No fim vi que as coisas continuam as msm, demora pra lançar e nerfar, falta de comunicação, e para um jogo global a quantidade de cartas lançadas é pífia.

    • Thales Lohn

      o combo do razakus tinha todo um processo de primeiro abaixar o raza e o anduin, sendo q seu deck só pode ter um card de cada, pra ai sim dar uma quantidade de dano grande… se a quantidade de dano fosse relevante pra nerfar ou não, então a blizzard ja teria nerfado os exodias, sem falar q o druida conseguia fazer o combo muito mais rapido pq ele é sempre o primeiro a ter mais mana e só precisava de 2 cards

  • Bruno Furtado Albuquerque

    Agora vai ser a vez do warlock. galera chorar durante 1 ou 2 meses e a blizzard nerfar/acabar com o coitado do Cubo.

    Se bem que o baralho Cubelock não tem nem de perto o potencial que tinha o highlander prénerf, é bem capaz do meta se adaptar ao Cubelock (já fiz meu millrogue) já que é um baralho extremamente counterável.

  • Mill Dread

    Três dias após os nerfs tive algumas impressões deste meta no modo padrão:

    – Sacerdote Highlander sumiu, apenas Dragão e Big permanecem;

    – Rastejante do Corredor não é mais jogado nem no Xamã Token, nem no Caçador e nem no Druida Aggro, essas eram as classes que supostamente continuariam usando ele por causa de sinergia com o deck;

    – Paladino Aggro teve uma queda no rendimento depois do nerf, outras classes que antes tinham dificuldade contra ele agora estão sofrendo menos;

    – Mago Tempo e Paladino Murloc tem aparecido com boa frequência, pois os nerfs não afetaram essas classes, assim como o Bruxo Cubo e Controle;