HEARTHSTONEA Importância da Sorte no Hearthstone

Marduk 10 de setembro de 2015

Sorte no Hearthstone

Introdução

“Se não houvesse sorte envolvida, eu ganharia todas as vezes.” – Phil Hellmuth

Essa citação clássica do Phill Hellmuth, jogador profissional de poker, é um conceito fortemente relacionado às partidas no Hearthstone. Todos os Card Games são projetados de forma que a sorte possa EVENTUALMENTE ser um fator decisivo. Isso não é uma falha no projeto, mas sim um recurso que o jogo disponibiliza. A sorte no hearthstone não é aplicada de forma diferente.

Recurso e Não Efeito Colateral

Se for removida todas as chances randômicas de um Card Game, você o transformará no Xadrez. Lembrando que o Xadrez é um jogo clássico, muito conhecido, mas que não possui a capacidade de ser jogado pela massa, diferente do Hearhtstone e outros jogos que envolvem sorte. Mas porque isso? Um dos principais fatores para que um jogo como esse se torne popular é que, eventualmente, mesmo um novato, pode ganhar uma partida por conta dos fatores que envolve a sorte, como por exemplo a compra randômica de cartas.

Sim, o melhor jogador vai continuar ganhando mais que todos os outros, mas não ganhará TODAS AS VEZES. O que não é o caso do Xadrez que citamos acima, em que o jogador com mais conhecimento e experiência pode ganhar todas as vezes.

dados

Esse pequeno fator, sorte , possibilita que algumas vezes mesmo o jogador menos experiente ganhe uma partida e ACREDITE, isso é uma coisa boa, desde que o jogo continue sendo ganho em sua maior parte pelos mais experientes, que é exatamente como funciona o Hearthstone atualmente. Para facilitar a analogia, imagine você recém chegado no Hearthstone e perdendo TODAS as partidas por simplesmente ser novo no jogo. Imagine o quão rápido você ou a grande maioria dos jogadores desistiriam do jogo se isso acontecesse, sem falar na falta de emoção na hora de assistir os campeonatos, com resultados totalmente previsíveis.

Emoção vs Previsibilidade

E não pense que a sorte é uma exclusividade do hearthstone ou outro Card Game qualquer. MOBA’s, MMORPG’s, RTS’s, FPS’s, TODOS tem seus efeitos randômicos, seja dando/levando um dano crítico ou no recuo aleatório da arma enquanto atira e nas cartas que você compra todo turno. Jamais se esqueça dessas palavras, sorte é um fator NECESSÁRIO para que o jogo tenha emoção acima de tudo.

Tendo tudo isso que falamos em mente, é importante que você não se deixe afetar pelas partidas que perder pelo fator sorte. Mesmo sendo um bom jogador, é preciso entender que durante o processo de subida no rank, você provavelmente perderá 35-45% das partidas e ainda sim chegará no topo toda Season. Mas claro que é compreensivo ficar nervoso, quando justamente a unica coisa que poderia fazer você perder a partida era aquele Ragnaros bater direto na sua cara e o D#$!#$! te acerta mesmo tendo 5 Lacaios em campo. Mas isso ocorrerá uma vez a cada dezenas de partidas, então fique tranquilo, mantenha a calma e volte ao Try Hard.

MadBomber Azar

O Hearthstone é um jogo onde muitas das vezes o segredo da vitória está no preparo mental na hora de jogar as partidas. É extremamente comum, após perder um jogo justamente da maneira que citamos acima, o jogador começar a partida seguinte nervoso e já desesperançoso, fazendo com que ele tome decisões e faça varias jogadas totalmente fora do que ele realmente faria, em condições psicológicas e emocionais estáveis. Por isso, acalme seu coração, se for preciso dê uma pausa, mas não jogue nessas condições, pois o máximo que conseguirá é aumentar seu “Lose Streak”.

Conclusão

A melhor maneira de manter esse controle mental na partida é focar exclusivamente no que você tem controle. Você não tem o poder de decidir ou saber qual será o top deck do seu adversário e o seu. Faça o melhor que puder com as informações que você já tem acumulado. Como foram as partidas que jogou nessa Matchup? Como esse baralho do seu inimigo se comporta normalmente? Quais cartas ele já usou? Quantas ainda tem restantes em seu baralho? E a partir dai, julgar quais podem ser suas possíveis jogadas, baseada na nossa querida matemática. Se você tem todas as informações anteriores, você consegue pelo menos diminuir o fator sorte do seu oponente, prevendo seus movimentos mais importantes ou com maior chance de acontecer naquele momento da partida.

Como sempre, espero ter ajudado muitos de vocês. Nos vemos no próximo artigo.

  • Caique Soares

    Boa Matéria

  • Felipe Freitas

    Ótima matéria. Parabéns.

  • faylerr

    Eu quebrei o meu mouse exatamente por isso.. 11 de vida, 5 minions e lethal no próximo o turno o cara me dá um frostbolt e solta o Ragnaros e vem bem na minha cara.. Joguei bem.. jogo difícil.. que foi decidido na sorte.. foda..

    • Agustìn

      Horrivel sorte

    • José Vargas

      MINIONS?

      • Maicon Araújo

        LACAIOS

      • faylerr

        Lacaios???

    • Nathan Porto

      Já tive pior com lethal no próximo turno… o cara tem 2 bombas do Dr. Boom, tenho 7 minions em campo, falta 7 de dano pra ele dar lethal. Ele ataca meus “minions” sem matar nenhum e o dano das bombas vão direto pra minha cara com 4 e 3 de dano…..

    • Eduardo Dss

      Entendo, mais você nunca esteve do outro lado?
      Você esta perdendo a partida, já pensando em conceder, mais perceber que existe uma chance de vencer se o Rag acertar o oponente, e pensa “Eu já iria perder mesmo, porque não APOSTAR nisso”.

  • gustavo muller

    Eu peguei lendário dos meses de abril a julho, jogo desde o lançamento do jogo, mas depois disso hoje praticamente não jogo mais. Concordo no ponto que jogo foi feito para um novato ganhar e pode ser melhor para atrair mais jogadores, mas pense o quão frustrante é para um jogador experiente, ou que sabe como montar seu deck, analisar os baralhos usados contra ele e construir um baralho consistente ser derrotado por alguém que visivelmente nem sabe porque 1 card está no baralho, que simplesmente acessa um site, segue a manada e copia um deck. Isso desanima muito, o que faz com que o jogo tenha também um alto grau de abandono de jogadores diferenciados, afinal porque eu vou perder meu tempo pensando em montar um deck consistente de uma classe que eu gosto, nos tech cards necessários se o deck não tem futuro porque o jogo é dominado por 3-4 decks baratos e vai acabar me ganhando em 30-40% das vezes, e tem uma winrate similar a do deck que construi, esse efeito é causado principalmente pelos famosos smorc control de hp, pala cancer, etc… que tornam o jogo raso, sem estratégia.
    E discordo completamente que esse “pequeno” fator sorte é necessário, primeiro porque no hearthstone sorte é 70% do jogo, suas cartas iniciais e seus 3 primeiros draws definem seu jogo, e não há contra argumentos para isso, seja um deck control ou um face, se voce não comprar os cards necessários pra impor sua estratégia no inicio do jogo dificilmente conseguira recuperar. Em outros cards games e rpgs mais bem planejados, o fator sorte existe mas assim como no exemplo citado os jogos se aproximam muito mais do xadrez do que do blackjack, tibia, magic são ótimos exemplos disso, um jogador novato tem chance de ser oportunista, e vencer um jogador experiente mas a chance disso acontecer é muito pequena, mas isso não os faz desistir, muito pelo contrario faz com que eles estudem e aprendam sobre o jogo para serem bons jogadores também, e é por isso que esses jogos estam a tanto tempo ativos.
    Acho que a blizzard podia e devia ter mais esses jogos como exemplos ja que visivelmente os jogos da blizzard estão tendo uma decadência de experiências hardcore, basta analisar quantas guilds competitivas no wow estão desbandando por causa do WOD, e quantidade de novos decks competitivos criados no HS, comparado ao seu lançamento a maioria dos decks atuais, são apenas decks repaginados com minor replaces de novos cards.
    Bom essa é a minha opinião provavelmente muito impopular, mas acredito que com o tempo a maioria dos jogadores também vai concordar já que todos tem o desejo de ascender e para se diferenciar precisaram aprender sobre o jogo e quando isso acontecer com a maioria dos jogadores irá concordar que é muito mais divertido um jogo que você possa vencer fazendo combos e estratégias do que jogar fechando os olhos e torcer pra vir o card que possa te salvar naquele turno.

    • rafael

      “os jogos da blizzard estão tendo uma decadência de experiências hardcore” isso é bem verdade, wow só piorou com o passar do tempo, lembro como o 3.3.5a era perfeito, aquele pvp perfeito, muito balanceado pra qualquer classe que vc quisesse jogar x3 tinham setups ótimas, muito mecânico, ah que saudade…

    • Eduardo Rabelo

      Discordo do seu comentário em várias partes. A questão do draw e do mulligan não é 70% sorte, pelo contrário, quem constrói o deck pensa exatamente nisso e manipula a curva de mana pra aumentar a chance de você ter o que jogar praticamente todo turno. Porém ainda vai ter aquelas vezes em que vc só pega carta ruim na mão inicial, afinal é uma probabilidade, e é isso que dá diversidade ao jogo. Já pensou se todo deck saísse com a mão inicial que quisesse? Seria bem frustrante pra jogar contra um deck de mage que pega moreia de mana, imagem espelhada e seta de gelo/portal instável toda vez. Porém entendi o que você quis dizer que o jogo vai aos poucos “perdendo a graça”. Realmente pode se tornar bem entediante jogar ranked contra os mesmos 3-6 decks do meta, porém vejo exemplos de players lendários que jogam com decks totalmente fora do meta e conseguem bons resultados (com uma win rate ligeiramente mais baixa, é claro). Entretanto não há muito o que fazer em relação à isso. Outros jogos competitivos sofrem com o mesmo problema, como é o caso do LoL. Cansei de ver campeonatos com os times todos jogando com os campeões do meta e as partidas ficavam limitadas à 20-30 campeões em vez dos 120+ que o jogo oferece.

      • gustavo muller

        Olha, é a minha opinião ninguém é obrigado a concordar com ela, esse é o ponto principal de ser uma opinião.
        Mas vamos lá, começa que visivelmente você não leu comentário por completo já que o problema não está em jogar contra 3-6 decks ( está muito mais para 3 baralhos, basta olhar os deck que dominam o tier 1, há também artigos sobre as % dos deck utilizados veja por você mesmo 3 baralhos somam mais de 50%!) ou no quesito de upar ranking, se você ler direito e tiver conhecimento suficiente do jogo com certeza irá entender. Não me importo com o fato de alguns poucos decks serem mais fortes e acabarem sendo dominantes, afinal existem sim que baralhos que se adaptam melhor as novas cards que eventualmente são lançadas e tendem a dominar, o problema consiste na estratégia desses baralhos, já que são majoritariamente decks rush, meu comentário e minha opinião valem justamente para sorte necessária para vencer esses 80% dos jogadores que usam tais decks ( a famosa manada!), são pessoas que jogam com deck rush, aonde sua curva de mana é quase 100% até o turno 3 e seu único objetivo é a vida do oponente, ora camarada, jogando com decks em que não faz sequer uma troca na mesa e no máximo você torce por um único silence ou remoção do deck ( isso quando tem no baralho e precisa ser jogador combinação rara!) ou que o cara não jogue uma kenzan, é muito fácil se chamador jogador bom tomador de decisão, quando sua única decisão é com o que vai atacar a vida do seu oponente, você diz que não concorda com a questão de os 3 primeiros turnos decidirem a partida ok, mas que pontos você tem para isso? Pare e pense no próprio exemplo que você acabou de dar, frustrante um mage com moreia e portal etc..? Ok de isso a ele e de uma ira para um druid ou uma seta de gelo para outro mage, pronto morreu o todo seu dano e metade da sua mão, enquanto o jogo dele nem começou ainda, se quiser posso te dar o exemplo oposto disso, pense num WC que compra alextraza varyan e ysera, e pega um deck rush, se ele não comprar remoções nos 3 primeiros turnos acabou o jogo, e então o que você vai dizer? que o cara é mal jogador? que o deck é ruim? claro que não, e esse é o ponto do meu comentário, para min esses baralhos rush representaram meu primeiro passo no HS, quando comecei a entender o que era construir uma estratégia para vencer, e começar a entender o que é sinergia dentro do baralho, o problema é que o primeiro passo acabou virando o objetivo final do jogo já que os melhores decks são estes, os mais fáceis, baratos e com menos interação com o oponente do jogo, sendo que você 99% das vezes está pouco ligando para o que ele joga, ja que seus cards funcionam no mesmo turno.
        Então vou explicar para ficar mais claro, o problema para min está em um jogador que as vezes nem desbloqueou todas as cartas básicas, conseguir acabar rank 5 ou no lendário com a maioria desses baralhos, pois isso estimula estes a não querer mudar ou pensar em novos baralhos, já que afinal porque vou me dar o trabalho de aprender a jogar de war control ou de ramp druid? Se são caros e dão trabalho quando eu posso ter o mesmo resultado muito mais facil, e principalmente a criar novos baralhos, se eu posso ir no smorc control!!
        Então o estimulo a criação de novos baralhos é inviabilizado por esta falha do jogo em que seus card draws iniciais ( vulgo sorte!) definem seu jogo pois na maioria dos casos você enfrenta um oponente que vai te ganhar no 5 turno se você comprar mal.
        Acho que o objetivo do jogo deveria ser dar outplay no oponente com estratégia e não fechar os olhos e sair jogando o que vier torcendo para vitória, porque até mesmo um face hunter perde o jogo se comprar 3 armas por exemplo, e isso comprova minha afirmação do jogo ser raso, sem estratégia.
        Resumindo então, a sorte a qual me refiro não está em qual lacaio a sylvanas vai roubar, em quanto as bombas do boom vão bater ou em quem, isso eu acho divertido, é nessa sorte que deveria ser focado jogo e não é isso que define a partida na maioria dos casos, a sorte negativa a qual me refiro e que deveria ser removida é essa necessidade absurda de precisar de todos as suas regenerações, remoções e qualquer coisa que possa ter no baralho para segurar esses baralhos rush, isso sim é extremamente frustrante! A partida fica no 8 ou 80, você comprou, o cara pode conceder que não vai ganhar de jeito nenhum! você não comprou vem um develop da blizz te da um tapinha nas costas dizendo ok tente de novo, ele é novato e e tem que vencer fácil para continuar jogando…
        Concluindo então, reafirmo que com o passar do tempo, toda essa galera que joga no “smorc” vai querer pegar lendário ( porque a maioria morre no rank 5 e fica feliz), vai querer subir e vai descobrir na marra o que eu digo aqui.
        Acho que quando a maioria dos jogadores também estiver na parte dos jogadores estiver no grupo dos que buscam criar baralhos, porque o “smorc” não resolve mais, muitos outros baralhos começaram a aparecer, um exemplo disso é que o prist voltou!!
        Falta a criação de tech cards eficientes para anular esses baralhos, estes não deveriam ser a maioria dos baralhos utilizados e muito menos tão eficazes, a própria blizzard admitiu já ter esse feedback antes de lançar a nova expansão e não resolveram o problema (motivo pelo qual eu não jogo mais assiduamente).
        Afinal para arrebanhar o gado, e fazer jogadores de baixo nível se sentirem especialistas o lema dos jogos nos últimos anos é:
        Quanto mais fácil melhor!!!!
        Seguraaaaaa peão!

        • Davi

          nossa cara, pra q essa redação? vc falou tudo isso, mas onde estão esses jogadores de rush? qual o resultado q eles fazem fora da ladder? é só vc olhar a final da copa américa, o Hunter que deu era mid-range e perdeu rápido, o jogo ficou nos mid e control. Os decks de rush só incomodam na ladder, se vc jogar um torneio, vc nem vê depois de um tempo, eles vão caindo logo no inicio e até na ladder, é só saber jogar contra e fazer o deck do oponente perder o gás.

          • gustavo muller

            Amigo essa redação é pra quem quiser ler, e repito é minha opinião você não tem que concordar, começa por ai.
            Segundo se você não tem argumentos consistentes, não perca seu tempo vindo debater ou criticar a minha,apenas fique calado.
            Mas já que você visivelmente tem uma dificuldade para entender (quem sabe se começar a ler ajude) vou explicar pra você:
            Primeiro, a copa América não são só as finais, eu participei das qualificatórias (muito mal organizadas por sinal, sendo que numa delas por “bug do sistema” no domingo não pude participar pois meu nome não saiu na bracket mas constava como inscrito e com check-in confirmado algo que ocorreu com outros jogadores também, em outra ocasião em que tentei participar, cancelaram a qualificatória pela metade e mudaram para sábado por má organização pois havia manutenção naquele dia,e na data marcada não pude continuar o torneio, mas mesmo nas finais você conta nos dedos as partidas em que 1 ou até mesmo os 2 jogadores não usaram um deck desse tipo pois sua winrate não é ruim e você sempre pode contar com o fator “sorte”.
            Participei de alguns poucos torneios e praticamente todos os oponentes que enfrentei nas qualificatórias e nos torneios usaram um deck face pra tentar essa win na “sorte”, isso tem que ser removido sim do jogo, jogador nenhum, experiente ou novato gosta de ver seu oponente jogar sozinho e você não poder fazer nada, no poker, cujo jogo regularmente também ninguém gosta de jogador mediano que fica tiltado e sai dando “all in” em tudo ( porque realmente uma hora ele acaba ganhando) e isso é frustante, afinal no poker você escolhe quando quer entrar na mão por isso o fator sorte é minimizado, no hs começou a partida e você comprou mal é derrota certa, entendeu agora sherlock?
            Sugiro a você a fazer mais do que seguir cegamente guias e listas, e passar a pensar mais no que faz ( no que fala também) certamente irá mais longe.

          • Davi

            blz cara, vc está certo.
            todo mundo tem sorte menos vc e esse mundo é muito injusto.
            HS é o único card game que envolve sorte e tem um field aggro, por isso deveria acabar.
            nenhum deck é 100% parceiro, se o seu control ou mid n aguenta um rush, melhor rever a lista e parar de dizer que os outros tem sorte ou jogam com um deck q n precisa de cérebro.
            tenta jogar de priest dragon ou warrior dragon, vc tem q se esforçar para conseguir perder de um rush usando um desses. Estou longe de ser um pro player como vc, mas minha recomendação continua. Menos choro e mais braço.

        • Uesley Carvalho

          Concordo com o que você falou em relação a isso o meta agro demais está um saco! eu queria muito jogar rankeado mais acabo indo apenas casual, vou jogar de warrior control um Deck que eu queria muito e agora consegui vou lá mega feliz pego 5 hunters, 3 bruxos e 2 paladinos sendo que deles 4 hunters eram face e eu consegui vencer 3 por sobreviver o suficiente e o ultimo teve tanto dano que não consegui segurar com a armadura a tempo de mandar um alexstraza foi absurdo e impressionante que de todos esses 10 Decks apenas o hunter mid range fez trocas! o resto foi apenas SMORC os que eu tive tempo para reagir(chegou no turno 7) eu venci rindo de tão tranquilo que o jogo ficou o meta está muito agro isso é horrivel o jogo que era pra ser de estrategia se dividiu em dois: dê mais dano que seu oponente mais rapido que ele consegue te dar ou sobreviva o suficiente para tirar todas as chances que ele tem de te vencer quero chegar ao ranking 5 só pra pegar a epica dourada no fim do mês mas sinceramente não tô com nem um pouco de animo pra jogar

  • Shiro

    Todo jogo, seja o que for, tem sorte envolvida. Desde do melhor jogador desfalcar no seu time de futebol ,a o seu oponente com 100 de vida conseguir invocar o Exodia e te vencer. HUEHUEHUEHUEHUEHUEHUE!

  • vinicius

    a vdd é q esse papo de “huehue hs 70 % sorte” é nego rank 10 q sempre perde as brigas pro WC

  • Gabriel Junior

    Eu venho de outro cardgame (yugi) e digo com propriedade que: Hearthstone tem menos sorte envolvida que a maioria dos outros cardgames. Porque eu digo isso? Porque em menos de dois meses de jogo eu atingi rank 4 sem investir um real. Lógico, existem partidas e partidas, mas a grande maioria das vezes o que decide o jogo é a tomada de decisões corretas e não o fator sorte. Hearthstone é um jogo que envolve bastante cérebro. Nos 2 primeiros turnos você precisa ter uma ideia de contra o que está jogando e quais as possíveis tech cards no deck do oponente. Enfim, acho que menos choro e mais estudo do jogo é o ideal pra quem culpa a sorte

    • rafael

      “os jogos da blizzard estão tendo uma decadência de experiências hardcore” isso é bem verdade, wow só piorou com o passar do tempo, lembro como o 3.3.5a era perfeito, aquele pvp perfeito, muito balanceado pra qualquer classe que vc quisesse jogar x3 tinham setups ótimas, muito mecânico, bom saudades…
      quanto ao tópico, acho que cada um tem sua opnião, mas o cara elaborar um texto ótimo como esse (lembrando que ele disse que parou de jogar o que é bom pra você n pode ser ideal para os outros, por isso existe tanta variedade em tudo) usou argumentos totalmente válidos e deixou seu ponto de vista e vc vir falar que é choro ainda ostentando o rank 4(what?), que escroto.

    • Legollas

      Em menos de dois meses VC pegou rank 4 sem investir um centavo? Cara nem fudendo, pq pra comprar as aventuras e ganhar cartas boas VC precisa de mto gold do jogo, e sem essas cartas duvido mto VC pegar rank 4. Na boa conta outra ae

      • Gabriel Junior

        na verdade to atualmente rank 3 jogando de shockadin sem nenhuma aventura 🙂

        • Rapha

          Esses deck agro, shockadin, face Hunter nem tem oq pensar cara é só ir face e cbou, conta outra

      • Guih Araújo

        eu tou rank 10, tenho uma lendaria que nem uso, sem nenhum card de aventura mod, meu deck é um mech mage modificado com cards mais simples, com 3 rara e 1 epica no deck, e acho que vou chegar mais longe esse mes, alem da sorte cada jogada, cada troca, cada ponto de vida ganho ou perdido cada mana gastado é mt importante são pequenos detalhes no early que faz vc ganhar um jogo. um jogador que pensa não só no seu turno mas sim nos próximos que viram tem mais chance de ganhar em desvantagem.

  • Davi

    acho q é difícil alguém escrever um bom artigo onde não haja muito choro, o artigo foi bom sim, o card game é bom sim, sorte domina o jogo? que nada, venho do magic, jogo competitivo nele e digo que ele envolve muito mais sorte no jogo do que HS, as manas não estão lá todo turno, uma garantida a mais, ou compre ou não compre, vc perder por ter mana d+ ou d- pode ocorrer, mas isso não torna o jogo menos competitivo, tudo dependo do perfil do baralho e da curva de mana que vc faz para o baralho, para quem estuda empreendedorismo ou planejamento estratégico isso é fácil de ver, os acasos sempre existirão, os grandes vencedores e pró players são aqueles que conseguem se adaptar melhor a essas situações difíceis ou construir baralhos que tenham menos fragilidade de acordo com o cenário. o Phil é um grande jogador de poker, o melhor ao meu ver(como jogador, como pessoa as vezes ele é um saco) e oq ele disse está correto, mas se a sorte influencia tanto assim, pq nos top 8 dos grandes torneios elesempre está lá? pq ele é o portador de mais braceletes? pq no magic ou outros card games sempre tem a mesma turma no top 8,16 ou 32 num torneio de 20.000 pessoas? eles tem sorte sempre? recomendo a todos menos choro e mais braço. Boa Sorte!

    • Lucas Josué

      Esse é o problema Davi, os caras só enxergam um lado da moeda, sorte existe, mas existe maneiras de aumentar suas chances em relação a do oponente, realmente o pessoal precisa parar de chorar e começar a entender o game.

  • Lucas Josué

    Realmente o fator sorte é o que deixa o jogo mais interessante, acho que esse fator deve continuar no HS, é o que deixa o jogo mais divertido e imprevisível, e bem menos linear, claro que esse fator vai te atrapalhar, mas ele vai te ajudar o tanto quanto ele vai te atrapalhar, é que a maioria costuma lembrar das vezes em que a Sorte te prejudicou, é normal, mas tem vezes que ela vai te ajudar. Isso que faz o jogo ficar divertido, competitivo, tanto pro conhecedor do game e pro novato, todos tem chances de ganhar e continuar evoluindo. A sensação de ganhar uma partida que pra muitos estava perdida, ou sem solução e muito gratificante, e certamente já aconteceu com todos. Por mais que a sorte afete o jogo há maneiras de você desequilibrar a balança da sorte para o seu lado, e isso é conhecimento de game, de deck, de matchups favoráveis e desfavoráveis. Se o ladder está infestada de 4 ou 5 tipos de decks isso mostra a consistência deles, e não que necessariamente só os melhores, não exite decks melhores ou piores, muitas vezes que faz o deck melhor é você mesmo, e conforme seu conhecimento aumenta maior sua facilidade jogar com determinado deck.

  • Paulo Ricardo Gorayeb

    Só observando o povo dizendo que HS tem menos sorte que Magic.

    • Tiago Braga

      O Magic como é um game físico, o fator sorte só age no draw das cartas e das manas, me corrija se estiver errado. Ja no HS as cartas tem efeitos randomicos, como ragnaros, mestre das facas, setas do mage e etc.. e isso ai faz a graça. Pra quem perde é realmente ruim, mais vc esta jogando em desvantagens lutando pra cavar um carta perfeita e ela vim !! è uma felicidade Brutal uheaueahuhaeuheauhuae

  • Luiz Wolff

    Fala isso gente pro portal instável ! HS depende de habilidade sim, mais tem vezes que a sorte é tão forte que é impossível ganhar.

  • Lucas Pacheco

    a importancia da sorte não

    HS é 99% sorte.

    • Arthur Gonçalves

      É pq vc é ruim cara kkkkk ou burro mesmo

      • Lucas Pacheco

        sou lenda e vc?
        ops!

  • Leonardo Bruno Siqueira

    Excelente texto, Marduk! E o que vc falou sobre o estado mental, o “mindset” é mt verdade em qualquer jogo. Eu joguei mt Starcraft em modo “tryhard” e logo aprendi isso vendo vídeos. É mt importante vc ver as derrotas de maneira positiva. Quem não o faz logo ou para de jogar ou começa a trapacear/apelar e fica sempre entre os melhores dos piores. Eu jogo HS de forma bem de boas pra me divertir e mesmo assim fico p$#% qnd a consagração ou o Malabarista de facas me ferra. Tava vendo vídeos do Trump e fiquei bobo de ver como ele fica tranquilo qnd o cara usa uma carta incomum para o baralho que detona ele. Ele já começa o jogo contando que vai sofrer perdas grandes, mas isso o mantém tranquilo e com a cabeça limpa para os turnos seguintes. Me fez lembrar aquela boa lição que vale pra qq jogo. Fique de boas e aprenda com os erros.